Análise dos processos semióticos abordados nas revistas Carta Capital e Veja durante as eleições presidenciais de 2014

Autora: Vivian Santana Paixão
Tipo de produção: Produção científica
Classificação: Dissertação/Tese
Data: 17/06/2016

Resumo

Este trabalho procurou abordar três assuntos: semiótica, comunicação e política. Com base no ponto de vista da semiótica peirciana, a presente pesquisa tem como intuito principal explicar as diferenças e semelhanças entre as revistas Carta Capital e Veja nas eleições presidenciais de 2014. O objetivo é fazer a análise da relação entre palavra e imagem, em que as mensagens são organizadas de modo que o visual e o verbal se confirmem e se complementem. As obras de Peirce e Lúcia Santaella são o principal referencial teórico desta parte da pesquisa. Esta dissertação também tem como foco compreender como as imagens influenciam na maneira como os leitores recebem, ou melhor, “recepcionam” uma determinada mensagem. Para isso, serão usadas capas de revistas do período da campanha eleitoral para presidente de 1989 e 2014, cujo objetivo é mostrar como os candidatos Fernando Collor de Mello e Aécio Neves foram apresentados pela revista Veja. Como base teórica, serão utilizadas algumas obras de autores como: Boris Kossoy, Martine Joly, François Soulages e Vilém Flusser. Tentar compreender a teoria dos campos formulada pelo sociólogo francês Pierre Bourdieu, utilizando, para isso, a comunicação, a semiótica e a política, também será tarefa dessa dissertação, utilizando o texto “Algumas propriedades dos campos” de Bourdieu e a obra Comunicação e Semiótica de Nöth e Santaella. Uma reflexão de como, na visão do sociólogo francês, o conceito de habitus ajuda a explicar as motivações implícitas diante das escolhas feitas pelas pessoas em seu dia a dia, será apresentada. É evidente que escolhas são feitas a todo o momento, então, optou-se por analisar como as pessoas decidem entre uma revista ou outra para se informar acerca de um momento importante no país: as eleições de 2014. Outros dois pontos também serão trabalhados: a sociedade do espetáculo, tendo como base teórica Guy Debord, e a semiotização da mercadoria no período eleitoral, esta pensada a partir do texto “Linguagem e Mercadoria” de Lucia Santaella e Winfried Nöth.

Palavras-chave: Processos Midiáticos. Comunicação. Semiótica. Política. Revista Carta Capital. Revista Veja.