Mesa 5 – Narrativas contemporâneas e conhecimento – 6 de novembro

Ruptura da normalidade ou construção de atualidade? Tensionamentos entre acontecimento e acontecimento jornalístico
Bárbara Lopes Caldeira – UFMG

Resumo
Este artigo busca tensionar a noção pragmatista de acontecimento, que parte das reflexões de John Dewey, G. H. Mead e Louis Queré, e certa visada jornalística acerca do fenômeno, proposta por autores que seguem uma perspectiva compreendida como construtivista. A segunda abordagem, que toma o acontecimento como uma construção engendrada pelas processualidades da atividade jornalística, questiona, em certa medida, a ideia de ruptura da normalidade defendida por Queré, ancorando-se nas discussões sobre temporalidade e sentido de atualidade intrínsecas ao fazer noticioso..

Palavras-chave: Acontecimento. Jornalismo. Temporalidade. Atualidade. Narrativa.


Tempo modo e voz: confluência entre as narrativas literária e jornalística em o gosto da guerra
Camila Freitas – UFRGS

Resumo

Este artigo pretende elucidar a aproximação entre as narrativas literária e jornalística na estrutura diegética do livro-reportagem O Gosto da Guerra, do jornalista José Hamilton Ribeiro (2005). O trabalho consiste em uma revisão teórica e breve análise de trechos da referida obra, considerando o método de conceituação da narrativa de Gérard Genette (s/d), a partir do qual os enunciados ficcionais e as categorias de tempo, modo e voz permitem identificar a temporalidade existente na narrativa, a focalização do relato e a regulação da informação, além de conferir um contorno literário ao texto noticioso.

Palavras-chave: Narrativa. Jornalismo. Literatura. Ficção. Mimese.


Jornalismo de dados como mecanismo de legitimação do discurso: análise retórico-discursiva dos números

Kelly De Conti Rodrigues

Resumo
Com o passar dos anos, a incorporação de dados numéricos em matérias jornalísticas ficou mais recorrente e ganhou ares de legitimação do discurso. Ocorre uma espécie de tentativa de tornar essa ciência social em uma ciência exata capaz de transmitir um reflexo na realidade. Essa construção narrativa por meio de números, contudo, passa por seleções e interpretações do profissional, o que influencia a produção discursiva. O objetivo desta pesquisa é analisar o uso do jornalismo de dados como mecanismo de legitimação do discurso. Para isso, utilizamos a metodologia da Análise do Discurso de linha francesa no estudo de duas matérias sobre a construção de ciclovias na cidade de São Paulo. Uma delas, intitulada “Morte de ciclistas em SP cresce 34% em 2014”, foi publicada pelo site do Estadão em 1 de maio de 2015. A segunda, divulgada pelo mesmo veículo no dia 19 de setembro de 2014, recebeu a manchete “Número de ciclistas em São Paulo cresce 50% em 1 ano”. A análise permitiu observar como a construção discursiva permite diversas interpretações a partir de diferentes combinações de números e formas narrativas. É essa tensão entre a objetividade e a subjetividade da construção discursiva que guia esta pesquisa.     

Palavras-chave: Jornalismo de Dados. Jornalismo de Precisão. Estatística. Mecanismo de legitimação. Narrativa jornalística.


Disputas made in israel: os conflitos entre a “nova” e a “velha” historiografia israelense
Paula Lima Gomes – PUC MG

Resumo
O artigo discute os conflitos entre a “nova” e a “velha” historiografia israelense, que emergem com os Novos Historiadores nos anos 1980. Esse movimento cultural e político de revisão do passado num certo presente, representou no campo da História, a reescritura comum e não premeditada do relato historiográfico sobre a criação do Estado de Israel (1948), instaurando fissuras e conflitos de narrativas que permanecem presentes. Sendo este, o fenômeno made in Israel a ser estudado, enquanto fluxo de reescritura e disputa de sentidos que é, tendo como referência a história desse movimento e o duelo protagonizado por Benny Morris e Ilan Pappe.

Palavras-chave: Conflitos de narrativas. Reescrituras. Novos Historiadores. Israel.