Comunicação como ferramenta de transformação social

Por: Faculdade Cásper Líbero

Patrícia Salvatori, coordenadora do curso de Relações Públicas

Comunicação para cidadania, capaz de contribuir efetivamente para a construção de uma sociedade mais justa e equilibrada. Esta foi a temática do bloco sobre comunicação transformadora na 10ª edição do Congresso GIFE, evento referência sobre o tema do investimento social privado. A professora Patrícia Salvatori, coordenadora do curso de Relações Públicas da Faculdade Cásper Líbero, acompanhou as palestras nesta quinta-feira, dia 5 de abril, na sede da Fecomércio/SP. O primeiro bloco foi apresentado por Mariana Moraes, gerente de Comunicação do GIFE e Carolina Pasquali, diretora de comunicação do Instituto Alana, que aproveitaram a ocasião para o lançamento da Narrativas, rede idealizada por nove instituições – Instituto Ayrton Senna, Instituto C&A, Mc&Pop Comunicação, Alana, GIFE, Instituto Unibanco, Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal, Fundo Brasil de Direitos Humanos e agência Cause – que se propõe mobilizar, promover e fomentar o diálogo com diversos atores sociais, em prol do interesse público.

Após o lançamento, foi realizado o debate “Comunicação no centro da mudança”, com a participação de Luana Lobo, sócia da Maria Farinha Filmes e Gabriel Brakin, executivo da Participant Media, empresa norte-americana de entretenimento que inspira mudanças sociais, por meio de filmes, documentários e programas de TV. Gabriel apresentou histórias e casos sobre como usar o poder dos filmes e do entretenimento para produzir reflexões e gerar mudanças sociais.

Na sequência, foram realizadas três mesas simultâneas sobre comunicação: “Por que apostar no audiovisual para provocar transformação”, com Carolina Pasquali, do Instituto Alana; Ana Carolina Vidal, da Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal; e Tiago Borba, do Instituto Unibanco, e mediação de Mariana Moraes, gerente de Comunicação do GIFE. A segunda mesa, acompanhada pela Profa. Patricia, apresentou os “Desafios da mobilização: como transformar comunicação em ações concretas”. A proposta foi apresentar campanhas que usaram a comunicação de causas como ferramenta, levando pessoas e sociedade a diferentes estágios de engajamento. Participaram do debate Anna Livia Arida, do Coletivo Minha Sampa; Ana Maria Melo, do movimento Põe no Rótulo; Adriana Charoux, do Greenpeace; com mediação de Francine Lemos, sócia-diretora da CAUSE. A terceira mesa discutiu sobre “Mídia, fake news e os riscos à democracia”, com Pedro Telles, da Omidyar Network no Brasil; Leonardo Sakamoto, jornalista e professor de Jornalismo PUC-SP; e Ana Freitas, pesquisadora da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

O evento contou com uma série de palestras e workshops que discutiram o uso consciente do dinheiro para mudanças sociais

Para a Profa. Patrícia, que pesquisa sobre mobilização social e relações públicas comunitárias em seu doutorado, é indiscutível a importância de trazer ao debate público, por meio das diversas frentes comunicacionais, questões sociais que visem o resgate da cidadania e assegurem direitos e oportunidades igualitárias para toda a sociedade, especialmente aos grupos historicamente minorizados, como mulheres, negros, pessoas com deficiência, LGBTs, entre outros.