Grupos de apoio ao aleitamento materno no Facebook: Informação e possibilidade de emancipação materna

Autora: Alessandra Rebecchi Feitosa da Silva
Tipo de produção: Produção científica
Classificação: Dissertação/Tese
Data: 17/08/2015

Resumo

Esta pesquisa investiga o compartilhamento de informações em redes sociais digitais e sua relevância e abrangência como processo para emancipação do ser humano. No caso, estudamos grupos de apoio ao aleitamento materno no Facebook formados por mães que desejam ajudar outras mães, para o sucesso da amamentação, através do compartilhamento de informações de medicina baseadas em evidências, das recomendações da Organização Mundial da Saúde e de suas próprias experiências pessoais. Neste panorama, a Internet tem representado um importante meio de comunicação para que pessoas, com interesses em comum, possam se encontrar e unir forças para conquistarem seus objetivos e ajudarem outras pessoas a também encontrá-los. Baseados no atual cenário de aleitamento forjado pela Indústria Cultural, notamos uma cultura em que a fórmula infantil é, muitas vezes, recomendada precocemente pelos profissionais de saúde dentro de seus consultórios, ainda que essa prática não esteja de acordo com as recomendações do Ministério da Saúde do Brasil e da OMS. Neste sentido, grupos de apoio ao aleitamento materno podem contribuir para ajudar mulheres que desejam e acreditam na manutenção da amamentação. A maternidade representa um campo de forças em que agentes sociais lutam pela conquista da hegemonia. Mas quando essa luta acontece dentro das barreiras da Internet, ela ganha características específicas da cibercultura e do capitalismo, como produção de trabalho imaterial, informação mediada pelos filtros, elementos fortemente discursivos e a dificuldade em se aceitar o pensamento divergente. O estudo conclui que para um perfil muito específico de mulher, que tem acesso à Internet e também acesso à informação, bem como um repertório favorável à insistência no aleitamento materno, os grupos de apoio ao aleitamento materno no Facebook constituem uma importante ferramenta para a sua emancipação, no que diz respeito a tomar suas próprias decisões sobre a manutenção ou não da amamentação. Mas que para a formação de uma cultura do aleitamento materno em toda a sociedade é necessário estudarmos outras formas de compartilhamento de informações. São utilizados, como base teórica, principalmente os autores: Theodor Adorno e Max Horkheimer para a compreensão de Indústria Cultural; Pierre Bourdieu com a Teoria dos Campos Sociais; André Gorz com sua contribuição para o conceito da produção de Trabalho Imaterial dentro do ambiente digital e Robert Putnam com a importante ideia de Capital Social. Além da revisão bibliográfica, fizemos um estudo de casos através de entrevistas para uma abordagem qualitativa de quem são as mulheres que procuram estes grupos no Facebook e qual a importância que eles tiveram no seu processo de emancipação sobre o saber-poder médico.

Palavras-chaves: Redes Sociais Digitais. Emancipação. Trabalho Imaterial. Aleitamento Materno. Indústria Cultural. Capital Social.