Marcas e brasões: processos midiáticos e estratégias de patrocínio ao futebol brasileiro

Autor: Alexandre Gidaro
Tipo de produção: Produção científica
Classificação: Dissertação/Tese
Data: 25/11/2015

Resumo

Este trabalho aborda o marketing esportivo e as estratégias de patrocínio nas relações entre corporações e clubes de futebol no Brasil. Considera essas relações como processos midiáticos marcados pelo contexto cultural, espaços de cooperação entre o universo dos clubes de futebol, a modalidade esportiva em que é mais notável a presença de investimentos empresariais, e as corporações que expõem suas marcas nos processos midiáticos, como – entre outros – a veiculação televisiva de partidas, mediante parcerias e patrocínios. Concebe as práticas esportivas como expressões culturais que, uma vez presentes no universo da comunicação midiática, permitem as relações entre a participação dos torcedores e a exposição das marcas como, por exemplo, na parceria entre o Sport Club Corinthians Paulista e a Caixa Econômica Federal. Nesse contexto, considera como os processos de comunicação e cultura são marcados pelos sistemas de commoditização do esporte, espetacularização midiática e potencialização das dinâmicas de consumo. A partir de pesquisa bibliográfica, observação das práticas de marketing esportivo e do diálogo com estudiosos dos processos de comunicação e cultura como Jeremy Rifkin, Naomi Klein, Karl Marx, Theodor Adorno, Guy Debord, Vicente Romano e Vilém Flusser, propõe uma análise crítica do marketing esportivo e das estratégias de patrocínio ao futebol brasileiro. Constata, em perspectiva crítica à lógica capitalista, que as relações de dependência existentes entre entidades esportivas, mídia e corporações, em vista da exposição midiática das marcas dos clubes e das corporações, indicam que os patrocinadores, no atual contexto socioeconômico, são fundamentais para a sobrevivência dos clubes.

Palavras-chaves: Processos Midiáticos. Cultura. Futebol. Marketing esportivo. Patrocínio. Ecologia da Comunicação.