3º Comunicação em Cena é marcado pela diversidade de assuntos

Por: Faculdade Cásper Líbero

Alunos da Pós-Graduação e do Mestrado apresentaram as suas dissertações

 

Alguns dos participantes do 3º Comunicação em Cena.

 

Na sexta-feira, dia 8 de novembro, aconteceu o 3º Comunicação em Cena, na Faculdade Cásper Líbero. O evento contou com apresentações elaboradas pelos casperianos da Pós-Graduação e do Mestrado, sob a coordenação do Profº Dr. Dimas Kunsch – Coordenador do Curso de Mestrado e de Pós-Graduação lato sensu e Docente no Mestrado, no lato sensu e na Graduação da Faculdade Cásper Líbero – e da Professora Dra. Liana Gottlieb – Docente no Curso de Pós-Graduação lato sensu.

A abertura foi feita pelos professores Liana e Dimas. Cada aluno teve 20 minutos para expor o seu trabalho e ideias. A plateia poderia fazer perguntas ao final das exposições. Além disso, essas dissertações foram publicadas no livro Comunicação em Cena – volume 3, o qual foi lançado recentemente. 

Dinâmica

No período da manhã, a mesa foi coordenada pela Profª Dra. Regina Giora, docente na Pós-Graduação na Universidade Presbiteriana Mackenzie, e pelo Profº Dr. Dimas Kunsch. Alessandra Rios foi a primeira a expor a sua dissertação, denominada Uma Analogia entre o Não Lugar em As Cidades Invisíveis e no Branding da Cola-Cola. Dando continuidade ao evento, Tatiana Marques, após sentir-se incomodada com algumas situações durante sua experiência como professora, decidiu apresentar um texto sobre Comunicação Não Violenta, Bullying em Docência.  

O terceiro a se apresentar foi o consultor independente de comunicação Renato Martinelli, que falou sobre Ciberativismo: Liberdade de Expressão e Pressão Social entre o Virtual e o Real. Em entrevista, o aluno contou porque escolheu estudar na Cásper: “Decidi estudar aqui por todas as perspectivas de comunicação que a faculdade oferece e pela imersão desse ambiente acadêmico nesse contexto histórico e de comunicação digital.”. 

Orientado pelo Profº  Dr. Roberto Chiachiri, Renato falou sobre a participação do docente na sua dissertação: “Ele me ajudou a conduzir o projeto e fez com que eu abrisse os olhos para essa perspectiva de semiótica que esse campo de estudo oferece.”. 

Além disso, Martinelli foi o único representante casperiano do 1º Congresso Internacional de Net-Ativismo, realizado na Universidade de São Paulo: “Foi uma honra muito grande expor ideias e dialogar com pessoas que também estudam o mesmo objeto que eu. Escolhi falar sobre comunicação digital e democracia virtual, o net-ativismo como estratégia de influência na opinião pública.”.

Antes do intervalo, Renata Carraro, acompanhada de Patrícia Candelária e Lindinalva de Oliveira, falou sobre uma série de perfis, intitulada Jornalismo e História de Vida. O Protagonista é Herói e o Autor Também É, que elas fizeram em parceria com outros jornalistas e alunos. Após a pausa, o evento seguiu com a apresentação de Rafael Reis, que trouxe um tema muito diferente e interessante: Bauman e a Liquefação do Amor na Música Brasileira

Dimas Kunsch também deu a sua contribuição, sendo o sexto da manhã a se apresentar. O coordenador do evento falou sobre a necessidade de haver conversação entre as pessoas: Conversando a Gente se Entende: Difícil, o Diálogo É Fundamental.  Dando continuidade ao evento, Alexandre Mauro Toledo falou sobre a Semiótica em Cena, um assunto muito discutido pelos teóricos da comunicação.

E para encerrar o bloco de apresentações da manhã, a consultora em tecnologia institucional da Faculdade Cásper Líbero, Gaya Machado, mostrou sua dissertação – De TE VI NA TV! a EU VI NA TV!: “Fui assistente de produção desse programa em 1999. Depois que eu saí de lá, fui acompanhando as transformações da atração. Então, decidi pegar o primeiro e o último programa para começar a estudar a trajetória dele através dos autores, com auxílio da Liana que foi a minha orientadora.”. 

Gaya ainda contou que a Cásper mudou a sua concepção dos estudos e agora seu sonho é ser docente de produção televisiva na instituição: “Eu tinha feito graduação, mas nunca tinha entrado na área de pesquisa. E foi a Cásper que despertou o meu olhar para a pesquisa e para o olhar acadêmico.”. 

Após o intervalo para o almoço, as apresentações seguiram durante a tarde, sob a coordenação de mesa da Profª. Dra. Maria Elisabete Antonioli – coordenadora do curso de jornalismo da ESPM/SP – e do Prof. Claudio Arantes – docente e mestrando na Cásper. No final de cada bloco, a plateia fez perguntas aos orientandos.