Cobertura jornalística brasileira do conflito de terras entre campesinos paraguaios e brasiguaios

Autor: Luciana Pelaes Rossetto
Tipo de produção: Produção científica
Classificação: Dissertação/Tese
Data: 11/06/2014

Resumo

Este trabalho investiga a cobertura pela imprensa brasileira do Paraguai e dos conflitos de terra entre camponeses paraguaios e fazendeiros brasileiros, os “brasiguaios”, na região de fronteira do Paraguai com o Brasil. Em uma primeira etapa estudam-se três momentos relevantes da história das relações entre os dois países, a começar pela chegada dos brasileiros no período da ditadura Stroessner (1954-1989), a construção da Usina Hidrelétrica de Itaipu nesse mesmo período, e, ainda no século XIX, o início da dominação, sobretudo econômica, imposta pelos brasileiros após a Guerra contra a Tríplice Aliança (1864-1870). Num segundo momento, traçamos um panorama, bastante geral, de como o Paraguai é representado pela imprensa brasileira. Por fim, concentramo-nos em nosso objetivo específico de estudo, que é identificar os modos como a mídia trabalha o Paraguai e os conflitos agrários envolvendo fazendeiros brasileiros e campesinos, sobretudo no espaço mais amplo das reportagens jornalísticas. Elege-se como corpus da pesquisa todo o material relacionado ao Paraguai publicado pelas revistas semanais brasileiras Veja, IstoÉ, Carta Capital e Época entre janeiro e julho de 2012, ano especialmente marcado por conflitos agrários que culminaram no afastamento do presidente Fernando Lugo, em 22 de junho de 2012. O objetivo principal é verificar com que nível de complexidade essas reportagens tratam a questão, a partir da hipótese de que os textos tendem a navegar pelo universo da simplificação, operando de forma reducionista e limitando-se a reproduzir estereótipos e preconceitos.

Metodologicamente, o estudo bibliográfico das relações históricas entre os dois países vem acompanhado da leitura atenta, descrição e análise do conjunto de textos que nos auxiliam no entendimento das formas de representação do Paraguai pela imprensa brasileira. Na sequência, tomam-se em mãos as reportagens publicadas por esses veículos, sem perder em nenhum momento de vista a inserção desse conteúdo no campo do jornalismo. Para isso, dedicamos também uma parte importante do trabalho ao estudo da teoria da reportagem, em suas linhas gerais. Como referenciais teóricos principais para esta parte do estudo, utilizam-se as contribuições de Muniz Sodré (técnica da reportagem), Cremilda Medina (reportagem como técnica, estética e ética), Edgar Morin (pensamento da complexidade), Dimas Künsch (epistemologia da compreensão), entre outros. Pretende-se desse modo dar conta de compreender como é o tratamento dado ao Paraguai e à questão agrária nos textos publicados pelas revistas semanais brasileiras, principalmente em seus espaços nobres da reportagem, reforçando a ideia de que a produção jornalística tanto pode contribuir para a compreensão quanto para a incompreensão dos acontecimentos, dos grupos sociais, das pessoas e  dos povos.

Palavras-chave: comunicação; jornalismo; reportagem jornalística; produtos midiáticos; Paraguai.