Cultura hip hop e marcas alternativas: a presença da ideologia e das estratégias mercadológicas

Autor: Marcos Alexandre Bazeia Foch
Tipo de produção: Produção científica
Classificação: Dissertação/Tese
Data: 20/06/2008

Resumo

Este trabalho apresenta um estudo da cultura hip hop, seu histórico, características e peculiaridades no Brasil. Abrange também uma análise sobre movimento social, tribo urbana e uma interpretação da cultura hip hop com base nestes conceitos. Posteriormente, fez-se um estudo sobre marcas, como são construídas e seu papel na transformação da cultura. A partir desse ponto, partiu-se para uma pesquisa de campo, abordando algumas marcas voltadas ao segmento hip hop. Nesta pesquisa empregou-se metodologia qualitativa com entrevistas semi-abertas. Foram entrevistados representantes de 4 marcas e de um veículo de comunicação. Após analisar o resultado desta pesquisa, procurou-se verificar como as marcas se relacionam com as dimensões ideológica e mercadológica.
As principais conclusões a que se chegou são que o hip hop pode ser interpretado tanto como movimento social quanto como tribo urbana e que as marcas alternativas pautam-se por uma ideologia de resistência, de contracultura e podem contribuir para a construção, propagação ou afirmação de um movimento social, ao mesmo tempo que podem servir de referência a tribos urbanas e também a outras marcas que precisam criar uma identidade, um sentido.