Jornalismo e narrativa na mídia televisiva: o programa profissão repórter

Autor: Bruno Teixeira Chiarioni
Tipo de produção: Produção científica
Classificação: Dissertação/Tese
Data:  04/04/2012

Resumo

Esta pesquisa ocupa-se com a análise da narrativa jornalística no programa Profissão Repórter, exibido na Rede Globo. Investiga-se como narra a atração, que privilegia a interação do repórter com o entrevistado e a importância dessa relação na construção da reportagem. A equipe do Profissão Repórter é formada por jovens m início de carreira, que se defrontam com a realidade das ruas. Ele passa por todas as etapas de uma reportagem, sendo responsável pela apuração, produção, roteiro e, muitas vezes, também pela edição final. As experiências vividas, diante das personagens, contribuem para a formação do olhar do repórter. A partir disso, estabelece-se uma teoria para a reportagem – o sublime olhar. Um olhar que compreende, sente, transparece, vive. Um olhar que aprende com as experiências da reportagem. Ao final, propõe-se que este trabalho de campo é necessário para a formação profissional e humana do repórter e esta relação é percebida nas imagens complexas produzidas nas edições. A epistemologia da comunicação, em geral, e do jornalismo, em particular, bem como o estudo da imagem servem como fundamentação da parte empírica do trabalho, no qual se utilizam como referenciais teóricos autores de várias áreas, que estão ligados direta ou indiretamente com o campo dos estudos de comunicação. São eles: Dziga Vertov, Edgar Morin, Martin Buber e Joseph Catatà, e, entre os brasileiros, Cremilda Medina, Dimas A. Künsch e Eliane Brum.
Palavras-chave: Comunicação e compreensão. Jornalismo. Narrativa. Sublime olhar. Profissão Repórter.