Narrativa seriada, mito e compreensão: um estudo da série House of Cards

Autora: Mayra Domingues Idoeta
Tipo de produção: Produção científica
Classificação: Dissertação/Tese
Data: 07/10/2016

Resumo

Esta pesquisa tem como tema as séries estadunidenses contemporâneas e, como objeto, a série original Netflix House of Cards. O que pode estar estimulando a expressiva procura pelas séries estadunidenses atuais? Parte-se do pressuposto de que a atração que essas histórias exercem sobre as audiências e os processos de identificação que, de diferentes maneiras, provocam com o seu público estejam, também de diferentes modos, associados aos conteúdos que veiculam, conteúdos esses que se deixam mostrar de
forma predominante no comportamento e nas falas dos personagens dessas histórias, e ainda mais fortemente em seus personagens principais. O objetivo principal é apontar sentidos possíveis para a questão que se levanta neste estudo. Outros objetivos, de natureza secundária, têm a ver com a compreensão do que neste trabalho está sendo chamado de “o caso Netflix” e com algumas de suas interferências sobre os modos de produção e consumo da TV e do entretenimento televisivo na contemporaneidade, com atenção especial dedicada à produção seriada. A hipótese é de que predominam, na construção dos protagonistas da tradução estadunidense de House of Cards, aspectos de natureza sombria, ou, mais precisamente, da sombra, no sentido junguiano do termo. A metodologia inclui a observação atenta da série House of Cards e a escolha, para a interpretação, de episódios, cenas e falas distintas. Estuda-se em detalhes o casal Underwood, Frank e Claire, buscando identificar, em cada um deles e em ambos, os traços fundamentais de sua personalidade, o que mostram e também o que escondem, como agem, o que procuram alcançar. O método da compreensão – objeto de estudo do grupo de pesquisa “Comunicação, diálogo e compreensão”, de que esta pesquisadora faz parte – comparece tanto no esforço interpretativo quanto na tentativa de se pôr em diálogo aspectos do consciente e do inconsciente humano, a comunicação e a psicologia, os discursos falados e as linguagens dos arquétipos e dos mitos e, por fim, mas não menos importante, na escolha da perspectiva de mostrar mais do que demonstrar, de se indicar caminhos possíveis de compreensão mais do que perseguir a intenção de chegar a respostas fechadas sobre os sentidos estudados, respostas essas que tenderiam para soluções de tipo reducionista. Autores como Edgar Morin, Carl Gustav Jung, Joseph Campbell e Christopher Vogler, dentre outros, servem de apoio teórico à investigação, com suas noções já amplamente conhecidas de complexidade, arquétipos, mito e Jornada do Herói e de Jornada do Escritor, respectivamente. O esforço de observação e interpretação concentra-se nas quatro primeiras temporadas da série. Este trabalho se insere na linha “Produtos Midiáticos: Jornalismo e Entretenimento” do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Faculdade Cásper Líbero e está vinculado ao projeto de pesquisa “A compreensão como método”, do grupo de pesquisa “Comunicação, diálogo e compreensão”.

Palavras-chave: Comunicação. Narrativa Seriada. House of Cards. Teoria e Epistemologia da Compreensão.