O show business no brasil nas décadas de 80 e 90: A influência da Folha de S. Paulo no Marketing Cultural da Souza Cruz e no crescimento do Mercado de Eventos Nacional

Autor: José Luis Fernandes
Tipo de produção: Produção científica
Classificação: Dissertação/Tese
Data: 16/03/2012

Resumo

Este estudo teve como Objetivo Geral demonstrar a influência da Folha de S. Paulo no Marketing Cultural da “Souza Cruz”, nas décadas de 80 e 90, e no crescimento do Mercado de Eventos Nacional (nosso Show Business). Para atingir tal objetivo e construir o referencial teórico, discorreu-se sobre: Cultura, sua relação com a Comunicação de Massas e com o Consumo; Marketing Cultural; Eventos: histórico, conceituação, suas características e seu mercado; Eventos Culturais como estratégia de branding, Marketing Cultural no/e patrocínio de eventos e Naming Rights de eventos musicais no Brasil. A seguir, para demonstrar o papel da  Folha de S.Paulo no crescimento dos grandes espetáculos musicais e na difusão da indústria tabagista – representada pela “Souza Cruz” -, buscou-se identificar a influência e a importância das coberturas desses eventos pioneiros, desde o nascimento do Marketing Cultural no Brasil, e acompanhando o desenvolvimento da indústria do Show Business Nacional. Metodologicamente, além da descrição histórico-analítica, foi feita uma clipagem da Folha de S.Paulo, como um todo e, em especial, do Caderno Ilustrada, sobre o Free Jazz Festival e Hollywood Rock. Além disso, foi feita uma entrevista por meio de um questionário e posterior análise das respostas. Os entrevistados foram profissionais da área e alguns que atuaram nos dois festivais. A análise de todos os documentos levantados nos possibilitou concluir que esses eventos culturais foram uma oportunidade ímpar para a “Souza Cruz”, pelo fato desta associar sua marca e seus produtos, notadamente os cigarros Free e Hollywood, com valores caros à sociedade, naquele período, salientando a conexão dos seus ideais com o mercado de eventos. Esse tipo de relação é comercialmente positivo, pois estabelece uma imagem sadia de uma empresa que se pretende interessada em proporcionar o bem da sociedade. O consumidor sente-se tão gratificado ao perceber estas informações, que reconhece a marca como sinônimo de simpatia e bem estar. A partir daí, está estabelecida a conexão emocional da marca com seu público-alvo.
Palavras-Chave: Mídia Impressa. Folha de S. Paul. Marketing Cultural. Mercado de Eventos/Show Business. Souza Cruz.