O texto e a informação jornalística – a narrativa escrita na era da imagem

Autor: Renato Fontes Groger
Tipo de produção: Produção científica
Classificação: Dissertação/Tese
Data: 23/03/2012

Resumo

O presente trabalho se ocupa da narrativa jornalística escrita, tal como é ensinada nas escolas de jornalismo na chamada “era da imagem”, em que se dá uma iconização do mundo, dos objetos e do homem, e em que o texto audiovisual assume crescente preponderância sobre o texto escrito. Autores incluídos no quadro referencial da pesquisa sugerem que a proliferação exacerbada (hipertrofia) de imagens no mundo contemporâneo, tecnologicamente proporcionada e intensificada pelos meios de comunicação eletrônicos, constitui um fator significativo para a atrofia da capacidade de leitura e escrita linear, atividades caracterizadas historicamente pelo tempo lento da decifração e reflexão. A intenção principal deste estudo éa  e verificar se pode ser encontrada em cursos de jornalismo uma reprodução do cenário contemporâneo de opção preferencial pelas imagens rápidas como instrumentos privilegiados da comunicação, e como esses cursos têm lidado com o ensino do texto narrativo escrito num contexto de hipertrofia imagética. São tomados como objeto de estudo três cursos de jornalismo do Estado de São Paulo: o da Faculdade Cásper Líbero (de 1947 e de cunho privado), o da Universidade de São Paulo (de 1968 e de cunho público) e o do CentroUniversitário Adventista de São Paulo (de 2000 e de cunho privado). A abordagem consiste em: 1) estudo das matrizes curriculares e planos de ensino dos cursos escolhidos; 2) entrevistas em profundidade com os coordenadores dos cursos e com professores cujas disciplinas sejam especialmente relevantes para o trabalho; 3) levantamento das possibilidades laboratoriais ligadas aos cursos, nas quais os alunos podem  aprimorar o texto escrito jornalístico; 4) levantamento dos TCCs realizados nos últimos anos; e 5) estudo da influência dos vestibulares em relação ao tema. Entre as referências teóricas fundamentais para o entendimento do tema da hipertrofia imagética e suas consequências, conta-se com obras de Vilém Flusser, Dietmar Kamper, Norval Baitello Jr, Harry Pross, Vicente Romano e Zygmunt Bauman, entre outros. Como referencial de qualidade textual narrativa é tomada a chamada narrativa “complexo-compreensiva”, conforme estudada pelo grupo de pesquisa “Comunicação, Jornalismo e Epistemologia da Compreensão”, da Faculdade Cásper Líbero, a partir de autores como Dimas A. Künsch, Cremilda Medina, Edgar Morin e Walter Benjamin.
Palavras-chave: Comunicação. Jornalismo. Epistemologia compreensiva. Narrativa escrita. Hipertrofia imagética.