Representações audiovisuais em documentários sobre a comunidade boliviana de São Paulo: o trabalho e a festa

Autor: Pedro Roberto Rodrigues
Tipo de produção: Produção científica
Classificação: Dissertação/Tese
Data: 01/06/2015

Resumo

O documentário como gênero cinematográfico pode ter um caráter antropológico e um dos “modos” de documentário é o reflexivo. Pensar a questão da comunidade boliviana que vive na cidade de São Paulo, a partir do momento em que ela faz parte da nossa sociedade é a uma maneira de ver o “outro” e entender a importância dessa gente. A reflexão sobre a representação dos bolivianos em São Paulo se insere na Linha de Pesquisa Produtos Midiáticos: Jornalismo e Entretenimento, do PPG de Comunicação na Contemporaneidade. O objetivo desta dissertação, portanto, é compreender como essa comunidade é retratada nos documentários paulistanos ¡Si, yo puedo! – O sonho boliviano em São Paulo de Marcel Buono, Victor Lombardi, Vinícius Victorino e Vitor Valencio; 100% Boliviano, Mano de Luciano Onça e Alice Riff e Nação Oculta: Bolivianos em São Paulo de Diego Arraya. Foi utilizado um referencial sobre documentário, com elementos de antropologia, estudo sobre imaginário e de análise de imagem de autores como Christian Metz, Mircea Eliade, Gilbert Durand, Edgar Morin, Josep M. Català, Bill Nichols, Margarita Ledo, Juan Droguett, Dulcília Buitoni entre outros. Trouxe ainda questões relativas à realidade vivida pelos bolivianos no trabalho, nas oficinas de costura, e nas festas, na dança diablada, nos espaços onde eles costumam se reunir e discutiu as representações simbólicas dos mitos e dos ritos do imaginário dessa comunidade residente na cidade de São Paulo.

Palavras-chave: Representação Audiovisual. Documentário. Imaginário. Comunidade Boliviana. Trabalho e Festa.