Revistas femininas e espetáculo: Nova e Vogue

Autor: Mayara Luma Assmar Correia Maia Lobato
Tipo de produção: Produção científica
Classificação: Dissertação/Tese
Data:  02/04/2012

Resumo

Nesta pesquisa, pretende-se fazer uma análise da imprensa feminina e de seu fazer jornalístico dentro do  contexto da economia e cultura capitalistas do mundo atual. Para observar questões de imagem, consumo e espetáculo, foram selecionadas duas publicações: Nova e Vogue. Autores como Zygmunt Bauman, Guy Debord e Jean Baudrillard fornecem o embasamento teórico. A presença de aspectos do espetáculo, a predominância da superficialidade, a ditadura das imagens e das aparências, os relacionamentos volúveis, a disseminação da forma efêmera da moda são algumas das questões estudadas. Doze matérias – entre textos e editoriais de moda – foram analisadas a partir de observações das revistas por um período de um ano (de 02/2010 a 01/2011), totalizando 24 edições de Nova e Vogue. Na análise qualitativa do discurso textual e fotográfico, foram constatadas duas características marcantes em ambas as publicações: a superficialidade na abordagem dos conteúdos e a predominância das imagens. As doze matérias selecionadas foram divididas em três categorias: “A construção de personagens ideais”, “O estímulo ao consumismo” e “As fórmulas para o sucesso: a transformação da mulher em mercadoria desejada”. Dulcilia Buitoni, Maria Celeste Mira, Gilles Lipovetsky e Josep Català são alguns outros autores que contribuíram para esta pesquisa. Questões historicamente ligadas à condição feminina, como zelo estético, preocupação com as relações amorosas, desejo de consumo comumente maior que o masculino, entre outras, foram espetacularizadas nos processos de newsmaking das revistas destinadas às mulheres.
Palavras-chave: Imagem. Espetáculo. Imprensa feminina. Revista Nova. Revista Vogue.