A hora de trazer o algo a mais

Por: Faculdade Cásper Líbero

Alunos da pós contam porque escolheram a Cásper para fazer a especialização

Em ascenção

Dados da Capes, Coordenação de Aperfeiçoamento de Nível Superior, mostram que, entre 2010 e 2013, o Brasil teve um aumento de 23% na quantidade de programas voltados para a pós-graduação. A região Sudeste conta com 1.560 programas e o estado de São Paulo abrange a maioria desse grupo. 

Entre os que escolheram cursar a pós atualmente estão Gabriela Chaytor, gerente na área de comunicação ao distribuidor na empresa Herbalife, Sérgio Garrocini, analista sênior de relações institucionais para a América Latina da Duke Energy International, e Ricardo Nóbrega, assessor de imprensa da Fundação Cásper Líbero. Os três cursam Comunicação Organizacional e Relações Públicas na Faculdade Cásper Líbero. 

Ricardo contou que escolheu a Cásper por conhecer bem o funcionamento da instituição, já que está por dentro do cotidiano da FCL: “O nome da faculdade em relação ao mercado de trabalho e o corpo docente também ajudaram na escolha.”. Já Gabriela e Sérgio deram ênfase a fatores como a flexibilidade da grade horária e a tradição e referência de ensino em comunicação. “Já havia cursado relações públicas na Cásper em 1999, apesar de não ter concluído o curso. Assim, conhecia alguns professores e sabia que eram autoridades em sua área.”, diz Gabriela.

A gerente de comunicação falou ainda sobre a contribuição que espera ter em sua carreira, com a pós: “Como minha formação é na área administrativa, meu principal objetivo é adquirir conhecimento e expertise para melhor desenvolver meu trabalho na área de comunicação. Também espero que esta especialização valorize meu currículo. Chega um momento em que fazer um bom trabalho não é suficiente: é preciso trazer algo a mais para a mesa, ter um diferencial para se destacar.”. 

Para Ricardo, que sempre trabalhou com comunicação organizacional, externa e interna, “faltava uma especialização para elevar o conhecimento técnico e, principalmente, o teórico”.  Já Sérgio, que é formado em letras, apesar de ter muita experiência prática, sentia falta de conteúdos teóricos. 

O que muitas pessoas ficam em dúvida é sobre o momento adequado de fazer uma pós-graduação. Gabriela teve uma grande surpresa no seu trabalho e, por isso, resolveu ampliar seus conhecimentos: “Recebi uma proposta da empresa para sair da área de práticas de negócio, em que era supervisora, e me tornar gerente na área de comunicação ao distribuidor. Sempre gostei da área de comunicação, porém não tinha formação na área. Assim, iniciar a pós-graduação em comunicação neste momento foi crucial para poder assumir tamanha responsabilidade. A especialização me dá base teórica e me mune de ferramentas para realizar bem o trabalho, atendendo tanto as necessidades da empresa, quanto de seu público.”. 

Já Sérgio optou por recomeçar a especialização em 2013 (começou em 2010, mas teve que trancar) por ter se planejado melhor financeiramente. Ricardo mostrou preocupação em relação à concorrência do mercado de trabalho e disse ter escolhido esse ano para cursar a pós por causa do crescimento de empregos na área empresarial.