ícone do título

A REVISTA

Focada em comunicação, a Revista Cásper, com publicação quadrimestral, procura trazer temas inovadores e atuais sobre o mercado de trabalho e sobre o universo das mídias. Estamos agora também em formato digital. Confira aqui o site e o nosso perfil no Instagram.

EDIÇÃO ATUAL - CÁSPER #31

O FUTURO DA COMUNICAÇÃO

“A comunicação profissional importa.” A frase é da professora Carol Monteiro (Unicap-PE) e surgiu durante uma mesa-redonda com diretores de Escolas de Comunicação promovida pela revista CÁSPER. A ideia era debater sobre o futuro do ensino da comunicação, mas o encontro acabou resultando em uma generosa reflexão sobre o campo comunicacional num sentido mais amplo. Saber se comunicar é uma das habilidades mais cobiçadas no mundo contemporâneo. É por isso que os profissionais que atuam em redações, agências, emissoras, estúdios e em quase todo tipo de trabalho fazem tanta diferença. Nesse encontro, Carol, Suzy dos Santos (ECO-UFRJ), Rosângela Florczak (Famecos-RS) e Welington Andrade (Cásper) trouxeram várias lições que merecem ser lidas na reportagem de capa desta edição comemorativa. Nas sete décadas e meia desde que a Faculdade Cásper Líbero criou o primeiro curso de Jornalismo do Brasil, os meios de comunicação passaram por várias revoluções, a maioria delas tecnológicas. A principal atende pelo nome de internet. A comunicação nunca mais foi a mesma desde então. Certezas antes estabelecidas no campo comunicacional hoje se esfarelam no ar. A televisão como a aldeia global; os jornais como a esfera pública; quem não é visto, não é lembrado; máximas que já perderam sentido em um mundo em que impera a colonização de dados, como pondera o sociólogo britânico Nick Couldry, em entrevista exclusiva à CÁSPER. Esta edição especial, agraciada com seis artigos de ex-alunos dos quatros curso da graduação e de dois da pós-graduação, procurou registrar um fotograma de uma época. Os assuntos vão dos novos negócios comunicacionais aos influenciadores, da discriminação algorítmica à regulação da mídia e, infelizmente, de uma guerra em curso, cujo registro histórico vem sendo registrado bravamente por profissionais da imagem como Yan Boechat. O jornalista brasileiro nos faz lembrar que o horror perdura mesmo numa sociedade que evoluiu muito nos últimos 75 anos. Ele é a comprovação de que a comunicação profissional importa. Boa leitura!

Eduardo Nunomura, Editor-Chefe

Icone do titulo