Do direito ao jornalismo em quatro anos

Por: Faculdade Cásper Líbero

Especialista em jornalismo pela Cásper, Rafael Gregorio conta como a pós influenciou sua carreira

 
Novos Passos

Rafael Gregorio e seus colegas da Folha
Crédito: acervo pessoal

Bacharel em direito, Rafael Gregorio decidiu mudar o rumo de sua carreira após quatro anos de mercado de trabalho. Com apenas 31 anos, já trabalhou na Folha de S. Paulo como editor-assistente na revista sãopaulo e repórter e redator em Mundo e no Guia da Folha, além de jornalista assessor de Suzana Singer, ombudsman do jornal. Hoje é editor-assistente, repórter e redator nas revistas Carta na Escola e Carta Fundamental, publicações do grupo Carta Capital destinadas à educação.
Essa trilha começou em 2009, quando Gregorio optou pela pós-graduação em jornalismo. “Sem a exigência do diploma para exercer a profissão, parecia uma boa escolha por permitir mais proximidade com o mercado do que a graduação”. Após visitar outras instituições, veio à Cásper conversar com o coordenador da pós-graduação Dimas Künsch: “vi que o programa era melhor e mais promissor. Pude escolher as disciplinas que queria cursar, montado e direcionando minha linha de estudo”.
https://www.casperlibero.edu.br/professores/professores/index.php/dimas-antonio-kunsch,5.html
Durante o curso, ele construiu sua base jornalística escolhendo matérias como técnicas e produção do jornalismo e jornalismo e revista. Também procurou ter bastante contato com os docentes e aproximou-se especialmente do professor Carlos Costa, que corrigia seus textos e estimulava sua produção. 
Assim, conseguiu montar um portfólio e no final do primeiro semestre já fazia trabalhos como freelancer na revista Diálogos & Debates e era redator colaborador no Guia da Semana. Ao final do primeiro ano tornou-se repórter e redator na editora Executivos Financeiros, até entrar para a Folha de S. Paulo em 2011. 
https://www.casperlibero.edu.br/professores/professores/index.php/carlos-costa,132.html

Bacharel em direito, Rafael Gregorio decidiu mudar o rumo de sua carreira após quatro anos de mercado de trabalho. Com apenas 31 anos, já trabalhou na Folha de S. Paulo como editor-assistente na revista sãopaulo e repórter e redator em Mundo e no Guia da Folha, além de jornalista assessor de Suzana Singer, ombudsman do jornal. Hoje é editor-assistente, repórter e redator nas revistas Carta na Escola e Carta Fundamental, publicações do grupo Carta Capital destinadas à educação.

Essa trilha começou em 2009, quando Gregorio optou pela pós-graduação em jornalismo. “Sem a exigência do diploma para exercer a profissão, parecia uma boa escolha por permitir mais proximidade com o mercado do que a graduação”. Após visitar outras instituições, veio à Cásper conversar com o coordenador da pós-graduação Dimas Künsch: “vi que o programa era melhor e mais promissor. Pude escolher as disciplinas que queria cursar, montado e direcionando minha linha de estudo”.

Durante o curso, ele construiu sua base jornalística escolhendo matérias como técnicas e produção do jornalismo e jornalismo e revista. Também procurou ter bastante contato com os docentes e aproximou-se especialmente do professor Carlos Costa, que corrigia seus textos e estimulava sua produção. 

Assim, conseguiu montar um portfólio e no final do primeiro semestre já fazia trabalhos como freelancer na revista Diálogos & Debates e era redator colaborador no Guia da Semana. Ao final do primeiro ano tornou-se repórter e redator na editora Executivos Financeiros, até entrar para a Folha de S. Paulo em 2011.