Sinestesia e espetáculo

Por: Marcelo Laganaro

O fantasma da ópera é uma adaptação para o teatro do romance de ficção gótica francês escrito por Gaston Leroux em 1909. Dentre as inúmeras versões já encenadas, a criada pelo inglês Andrew Lloyd Webber no Teatro Majestic, em Nova Iorque, em 1986, é a que está há mais tempo em cartaz na Broadway. O espetáculo é inspirado em fatos históricos que ocorreram no Palais Garnier, no século 19. Erik é a personagem misteriosa cujo rosto desfigurado recoberto por uma máscara assombra o público durante as apresentações na Ópera de Paris. O “fantasma” apaixona-se por Christine Daaé, bailarina e soprano da orquestra, impedindo, assim, que ela e o Visconde de Chagny vivam sua história de amor. Cenários de múltiplo uso, figurinos alusivos às vestimentas usadas nos séculos 19 e experimentos pirotécnicos compõem o espetáculo teatral. Uma das cenas mais emblemáticas da encenação é a da queda de um grande lustre sobre a plateia, interrompida a poucos metros de atingir os espectadores.