A BROADWAY NÃO É AQUI – Teatro musical no Brasil e do Brasil: Uma diferença a se estudar

Autor: Gerson da Silva Esteves
Tipo de produção: Produção científica
Classificação: Dissertação/Tese
Data: 8/12/2014

Resumo

A pesquisa objetiva analisar a produção de espetáculos de teatro musical como fenômenos midiáticos inseridos numa sociedade em que a produção cultural está internacionalizada e espetacularizada – em função do que se poderia chamar de uma invasão estadunidense em termos de forma e conteúdo. O american musical, mais presente em nossos palcos, gera um produto de franquia que, pouco ou quase nada, dialoga com a tradição de um teatro musical mais brasileiro. A relevância se dá por seu ineditismo e, ainda, por: elaborar contornos para os diferentes gêneros existentes; traçar um panorama histórico e analítico de espetáculos representativos até a contemporaneidade; considerar, por meio de entrevistas, o ponto de vista de artistas e profissionais técnicos do nosso teatro musical. O diálogo teórico se dá com críticos da indústria cultural, sobretudo: Adorno & Horkheimer, Guy Debord, Gilles Lipovetsky, Frédéric Martel. E outros ligados ao nosso teatro musical: Neyde Veneziano, Jamil Dias e Roberto Ruiz. Por premissas o trabalho agrega novos componentes a discussões ainda em estágio embrionário: quais caminhos trilhados pelo musical brasileiro e em que ponto se encontra essa trajetória; como se forma o gosto das novas gerações para uma produção „made-in Broadway‟; quais mecanismos de produção, criação e financiamento são empregados em franquias culturais; quais os caminhos para preservar uma cultura musical que está na matriz do nosso teatro; de que forma leis de incentivo à cultura fazem surgir um formato de criação/produção de teatro musical ligado quase que exclusivamente ao ‗mainstream‟ e ao gosto burguês. As considerações finais apuram que, entre muitos caminhos, o que falta ao musical brasileiro da atualidade é um grande conjunto de fatores que incluem, por exemplo: artistas disponíveis para composições inéditas, produtores dispostos e patrocinadores entusiasmados pelo produto nacional, convivência harmônica e não canibal entre as produções chamadas alternativas e as mainstream.

Palavras-chave: Produtos Midiáticos. Indústria Cultural. Sociedade do Espetáculo. Teatro Musical. Musical Brasileiro.