De Kararaô a Belo Monte: Um estudo sobre as narrativas das reportagens de revista

Autora: Juliana Arini
Tipo de produção: Produção científica
Classificação: Dissertação/Tese
Data: 13/02/2014

Resumo

Este trabalho de Dissertação do Mestrado em Comunicação, da Faculdade Cásper Líbero, tem como objeto de estudo as 25 reportagens publicadas nas revistas impressas nacionais informativas – Veja, IstoÉ, Carta Capital e Época – no período de janeiro de 1989 a maio de 2013, que abordaram a construção da hidrelétrica de Belo Monte, no Pará. A análise dessas matérias servirá de pano de fundo para a discussão sobre a reportagem em profundidade como forma de narrativa e as questões de comunicação que envolvem o tema. A primeira parte deste trabalho faz um breve resumo do contexto histórico do projeto da hidrelétrica de Belo Monte, a segunda traz o estudo dos elementos fundamentais para a prática da reportagem em profundidade, com foco na abordagem compreensiva e dialógica. Essa análise servirá de guia para o estudo das formas de recortes de realidade apresentados nessas narrativas jornalísticas sobre a construção da hidrelétrica de Belo Monte – um dos maiores projetos de infraestrutura nacionais, debatido há 24 anos na imprensa. O objetivo é compreender, por meio do exame detalhado das reportagens, como a imprensa escrita narrou o projeto e as transformações que este desencadeou na natureza da Amazônia e na vida das comunidades atingidas. Questionar se os veículos de comunicação deram conta de transmitir toda a complexidade exigida para a proposta do gênero narrativo reportagem é o terceiro objetivo desta dissertação, que também pretende servir como uma pequena fonte de inspiração para os estudantes de comunicação em relação ao universo da narrativa em profundidade, possibilitando desta forma construir pontes entre a realidade praticada nas redações e a visão profunda da academia. Essa análise de conteúdo terá como inspiração as proposições teóricas de autores como Edgar Morin, Edvaldo Pereira Lima, LuisCarlos Restrepo, Martin Buber, Michel Maffesoli, entre outros. A análise sobre as estruturas de texto aplicadas nas reportagens em profundidade, e como essa escolha pode ter afetado (ou não) as narrativas sobre a hidrelétrica, terá como suporte teórico autores como; Patrícia Ceolin Nascimento, Oswaldo Coimbra e Otton Garcia. As imagens das reportagens vão ser analisadas e decodificadas a partir da proposta de leitura das fotografias de Boris Kossoy. O histórico e contextualização do projeto da hidrelétrica tem como base as obras de Oswaldo Sevá Filho e Lúcio Flávio Pinto. Investigar o grau de influência da visão cientificista, moldada a partir dos ideias positivistas de mundo, sob o modo como foi narrada a construção da hidrelétrica de Belo Monte pela imprensa escrita está entre os objetivos e contribuições esperadas deste trabalho.Palavras-chave: Comunicação, jornalismo, reportagem, compreensão, narrativa,
hidrelétrica de Belo Monte.