Por Ricardo Morales, da equipe de assessoria da Fundação Cásper Líbero

O ensino em comunicação foi a pauta da mesa do “Conexões RP” durante a manhã da quarta-feira, 21 de setembro.

Os impactos que o ensino sofreu durante a pandemia e o que mudou após este cenário foram alguns dos temas abordados no encontro mediado pelo professor casperiano Sergio Andreucci. Maria Aparecida Ferrari, professora de relações públicas da ECA-USP (Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo), e Ricardo Freitas, professor titular da Faculdade de Comunicação Social da UERJ, completaram a mesa de convidados presenciais da palestra. No modo remoto, Maritza Mosquera, doutora em ciências da informação pela Universidade Complutense de Madrid, também deu sua colaboração ao debate.

previous arrow
next arrow

previous arrownext arrow

Slider

 

“A pandemia nos trouxe opções diferentes de ensino, mas evidenciou as diferenças socioeconômicas no país. Mostrando que nem todos conseguiram se manter dentre estas adversidades”, tensionou Freitas.

Diretamente do Panamá, Mosquera também tocou no ponto: “A pandemia [Covid-19], nos obrigou a recorrer ao método virtual e híbrido, como esse encontro, por exemplo. E assim como Darwin disse, não é a espécie mais forte que sobrevive, nem a mais inteligente, mas, sim a que se adapta e responde melhor às mudanças”.

Por fim, Maria Aparecida comentou como as interações presentes dentro do ensino de relações públicas fizeram falta durante o período de isolamento e de como a profissão depende muito dos vínculos criados. “Na nossa profissão, as relações que criamos são algo muito importante, por isso, eu não consigo imaginar o curso de RP 100% remoto”.

Confira como foi a conversa na íntegra: