O desafio da cobertura do coronavírus em meio a uma pandemia de vozes

Por: Ana Carolina Navarro, da Revista Cásper

Confira a cobertura da Live do CIP com Tatiana Ferraz, Coordenadora de Jornalismo da Faculdade Cásper Líbero

Informar de forma eficiente sobre um tema que a cada dia apresenta novos paradigmas exige um esforço extra do comunicador. Esta tem sido a tônica da cobertura jornalística da Covid-19, um desafio mundial sem precedentes em um mundo em que as comunicações viraram globalizadas. Para combater a “pandemia de vozes” – uma infinidade de especialistas disseminando todo tipo de informação o tempo todo –, o jornalista virou peça-chave para levar informações qualificadas à população.

É dessa forma que a professora Tatiana Ferraz, coordenadora do curso de Jornalismo, resume a importância da cobertura noticiosa sobre o coronavírus. Tatiana afirma que o jornalista é um intermediador entre as instituições e a sociedade, e precisa relativizar as informações que tem em mãos para avaliar a melhor maneira de transmiti-las. “Uma informação pode salvar uma vida tanto quanto um medicamento”, disse.

Michelle e Tatiana Ferraz em live realizada no Instagram de Esquinas

 

A jornalista acredita que mesmo nesse momento de perdas é possível aprender algumas lições. Uma delas é a valorização do jornalismo profissional: “É uma excelente oportunidade da gente se valorizar e ver nossa profissão ser valorizada. Mesmo com ataques, muitas pessoas saíram em defesa dos jornalistas”. Na visão de Tatiana, os profissionais da imprensa têm sido capazes de basear suas reportagens em fontes verificadas, o que dá mais credibilidade e confiabilidade para a notícia, um antídoto contra as chamadas fake news.

Tatiana Ferraz, que é doutoranda no Programa de Saúde Baseada em Evidência da Universidade Federal de São Paulo, participou da segunda live promovida pelo Centro Interdisciplinar de Pesquisa (CIP) em parceria com o Núcleo Editorial da Cásper Líbero. Com mediação da professora Michelle Prazeres, coordenadora do CIP, a dupla respondeu a perguntas do público. Algumas das questões giraram sobre as mudanças que a realidade da pandemia podem trazer nas relações entre a ciência, jornalismo e educação. Ambas defendem que a crise social que estamos enfrentando e enfrentaremos nos próximos meses nos levará a valorizar mais o trabalho da pesquisa científica – até o momento, a única forma para se desenvolver uma vacina contra o coronavírus.

 

Até 1º de Junho, sempre às segundas e quartas, às 18 horas, a Faculdade Cásper Líbero realiza conversas ao vivo sobre “O futuro da comunicação pós-pandemia” no Instagram da Revista Esquinas com professores pesquisadores da Faculdade sobre temas relevantes relacionados às suas pesquisas. O objetivo dessa série é buscar compreender o cenário da comunicação diante dos desafios apresentados pela pandemia de Covid-19.

A próxima live contará com a presença da professora Helena Jacob falando sobre “Jornalismo e Entretenimento: durante a pandemia e depois dela”. O encontro está marcado para segunda-feira, 11 de maio, às 18 horas.