Marx e a épica

Por: Ana Cotrim - Universidade de São Paulo. Mestre em filosofia.

logo-comunicare

Volume 12, Edição 2 – 2º semestre de 2012

Este artigo compreende uma leitura da célebre passagem em que Marx aborda a arte grega, em a épica, na Contribuição à Crítica da Economia Política – Introdução (1857). Procura salientar a relação entre a historicidade da épica grega e a perenidade de seu efeito artístico, bem como o caráter antropomórfico da arte como traço essencial para a mobilização da sensibilidade.

Palavras-chave: Marx, arte, poesia épica.

Leia o artigo completo.