Linhas de Pesquisa CIP

Processos Midiáticos: Tecnologia, Cidadania e Mercado

Dois fatores influenciam fortemente os processos comunicacionais contemporâneos: a tecnologia e a crescente expansão da lógica mercantil sobre o universo comunicacional e midiático em suas diversas formas e plataformas de distribuição e produção de valor. Concretizada especialmente nos espaços urbanos e estruturada pelos processos e ambientes de comunicação, as sociedades contemporâneas experimentam as interfaces entre diferentes linguagens, dinâmicas culturais e formas de organizações sociais, expressas, inclusive, na criação e fruição de bens simbólicos.

No âmbito das relações entre tecnologia e mercado, e destas com a comunicação, à dimensão política cabe um papel dos mais importantes. São significativas as mudanças nos vínculos entre cidadãos, sociedades, Estados e empresas. Têm a ver com a valorização da interatividade e com o emprego da tecnologia informacional, gerando alterações no processo comunicacional, tornando necessária a redefinição das relações entre as esferas privada e pública, bem como o constante debate a respeito das políticas públicas. Fazem parte desse contexto a reivindicação de políticas voltadas para a democratização do acesso à tecnologia informacional e o debate sobre as relações dos cidadãos com a produção e a distribuição de conteúdos nos diferentes suportes e/ou ambientes midiáticos.

As tecnologias e linguagens digitais demandam abordagens teóricas que considerem as raízes antropológicas da comunicação; os fluxos de poder presentes nas redes e nas relações entre cidadãos e instituições; as concepções de convergência midiática; as mudanças na percepção do tempo e do espaço nos ambientes comunicacionais; as concepções de media literacy; a redefinição dos processos de gestão, produção, distribuição e fruição de mensagens; o acesso desigual aos recursos tecnológicos e, ainda, a propriedade da informação e do conhecimento.

Os ambientes tecnológicos provocam acentuadas mudanças não só na produção e distribuição de conteúdos híbridos informativos e de entretenimento, mas também nos imaginários e nos modos de sociabilidade de indivíduos e grupos. Nessas condições, impõe-se a reflexão acerca da natureza comunicacional e midiática das interações nos espaços institucionais e a respeito da emergência das redes, suas inter-relações e suas criações coletivas. Constituem ainda objetos de investigação as dinâmicas de gestão dos negócios de comunicação, caracterizadas pela desregulamentação dos parâmetros que norteiam o planejamento das corporações que produzem dispositivos e/ou conteúdos. E, ainda, a configuração da esfera pública de uma sociedade globalizada, digitalizada e desigual, na qual os temas da deliberação pública, da participação criativa, da tensão entre identidades e diversidades culturais, e a inclusão digital adquirem um papel central.

A linha de pesquisa “Processos Midiáticos: Tecnologia, Cidadania e Mercado” estrutura-se ao redor dos seguintes eixos temáticos, que, por sua vez, se configuram nas disciplinas oferecidas no interior deste recorte específico que o Programa de Mestrado em Comunicação da Cásper Líbero efetua na área de concentração “Comunicação na Contemporaneidade”:

  • Tecnologia Digital e Mercado da Comunicação
  • Comunicação, Tecnologia e Cidadania Digital
  • Mídia, Opinião Pública e Processo Político
  • Mídias Sociais: Vínculos e Mercantilização na Cibercultura
  • Sociedade e Mudanças Tecnológicas na Comunicação
  • Comunicação e Processos Políticos nas Organizações.

Produtos Midiáticos: Jornalismo, Imagem e Entretenimento

Na sociedade contemporânea, os produtos da mídia (re)elaboram simbolicamente fatos e conteúdos tanto do domínio dos acontecimentos quanto da ficção, gerando aproximações estreitas entre informação e entretenimento. As representações que daí emergem constituem fenômenos de inegável importância para o campo de estudos da comunicação. Igualmente relevante é o fato de que produtos culturais, jornalísticos e de entretenimento atuam sobre os modos como percebemos e avaliamos as nossas ações, uma vez que procuram estar próximos à experiência cotidiana dos sujeitos.

Constituem objetos específicos de estudo desta linha os discursos jornalísticos e ficcionais da mídia, suas dinâmicas de produção e fruição, seus gêneros, formatos e suportes, suas linguagens e as relações entre forma e conteúdo. A produção midiática sonora e imagética ajuda a compor o quadro investigativo, num contexto de prevalência audiovisual. Leva-se em conta o caráter dinâmico desses fenômenos e as frequentes hibridizações e interfaces entre os mesmos.

A linha de pesquisa “Produtos Midiáticos: Jornalismo, Imagem e Entretenimento” investiga a produção de narrativas midiáticas de diferentes naturezas, com atenção especial para os ambientes digitais em que essas narrativas hoje se configuram. O desenvolvimento de tecnologias de comunicação em rede cria dinâmicas de informação e entretenimento em veloz transformação, envolvendo seus usuários em relações de interlocução que valorizam a dimensão lúdica e criativa na produção e fruição de mensagens, incluindo a diversidade de games que passam a frequentar os mais diversos espaços da vida pública e privada.

Um segundo foco de interesse desta linha de investigação é o das relações entre jornalismo e espetáculo. No contexto sociocultural da globalização e técnico das interfaces entre códigos, a produção jornalística tende a provocar o esvaziamento da dimensão pública da informação, favorecendo a presença, cada vez mais intensa, de temas de caráter privado. Coberturas assumem como pauta assuntos de interesse geral a partir de recortes prévios, priorizando, na produção da notícia, a personificação, a dramatização e a espetacularização da informação. A ação política ocupa lugar secundário, ou menos proeminente. O significado das normas e valores é relativizado, num contexto em que as fronteiras entre os domínios da informação de interesse público e do entretenimento se diluem.

As formas contemporâneas de representação visual vêm transformando a construção, a disseminação e a conservação do conhecimento. Assim, as imagens se articulam com as discussões sobre o pensamento complexo. Nesse sentido, a forma interface é entendida com um modelo mental contemporâneo que articula as concepções através das quais o conhecimento é exposto, representado, gestionado e recebido na cultura em permanente trânsito. As imagens, analisadas em diversos meios e suportes, constituem um objeto essencial para esta linha de pesquisa, constituindo, por isso mesmo, um terceiro foco central de investigação. Fotografias, vídeos, fotojornalismo, telejornalismo, documentários, reportagens e vídeos documentais na web são pesquisados, sem esquecer a contribuição do áudio em todas essas produções. Além de considerar os produtos midiáticos em curso, há a possibilidade de estudo e proposta de novos formatos e maneiras de circulação e fruição.

Os diferentes momentos e dinâmicas de realização desses objetivos privilegiam o estudo e a reflexão sobre a consciência crítica e o cultivo da cidadania. É nesta perspectiva que se entende aqui o recorte “Produtos Midiáticos: Jornalismo, Imagem e Entretenimento”, efetuado na área de concentração “Comunicação na Contemporaneidade”, com seus eixos temáticos, constituídos pelas disciplinas oferecidas nesta linha de pesquisa:

  • Sociedade do Espetáculo e Cultura da Imagem
  • Perspectivas do Jornalismo na Sociedade Midiática
  • Cultura da Mídia e Entretenimento
  • Poéticas e Estéticas Contemporâneas
  • A Construção de Sentidos em Fotografia Jornalística
  • Estudos Visuais: Jornalismo e Mídias Digitais.