Ícone do título

Grupos de Pesquisa

LINHA DE PESQUISA A - TECNOLOGIA, ORGANIZAÇÕES E PODER

  • Responsável pelo grupo: Prof. Dr. Luís Mauro Sá Martino | E-mail: [email protected]

    Dedica-se ao estudo das questões vinculadas às Teorias da Comunicação, em particular na intersecção entre seu aspecto epistemológico e suas dimensões político-institucionais. Observa a apropriação e as articulações de teorias em relação à diversidade de recortes, olhares e objetos presentes na área. Na medida em que a Área de Comunicação parece se caracterizar por ramificações epistemológicas articuladas aos desdobramentos dos objetos de estudo, o eixo de investigação do grupo desenvolve-se na intersecção das perguntas “O que é Teoria da Comunicação?” e “O que é considerado ‘Teoria da Comunicação’ na Área?”. Busca-se a unidade metodológica do recorte de investigação nas apropriações teóricas existentes na diversidade das pesquisas empíricas desenvolvidas no âmbito do Grupo ou tangencialmente a ele.

    Palavras-chave: Teorias da Comunicação Metodologia Cultura Sociedade

    mais informações
  • Responsável pelo grupo: Profa. Dra. Ana Carolina Frazon Terra | E-mail: [email protected]

    O InfluCom nasce, em 2021, com a proposta de receber pesquisadores, estudantes e interessados em pesquisas envolvendo o Campo da Comunicação Organizacional, sobretudo aplicado ao digital e à influência, em função dos impactos e interferências decorrentes dos efeitos da midiatização, plataformização e dataficação. Caberá aos pesquisadores refletir e discutir acerca dos fenômenos que circundam as estratégias de exposição, visibilidade e relacionamento das organizações nas plataformas sociais e digitais. Um dos objetivos do grupo é promover a reflexão sobre as práticas da comunicação nas organizações e suas relações com as tecnologias digitais, contribuindo para o diálogo entre os agentes sociais desse ecossistema. Para tanto, abarca estudos ligados à Comunicação digital, inovações e tecnologias; Comunicação organizacional e seus sub-campos; Relações Públicas digitais; às sub-áreas da Comunicação (RP, PP. JOR e RTVI); Influência digital; Dados, algoritmos, governança; Plataformização; Midiatização e Visibilidade.

    Palavras-chave: comunicação organizacional digital influência midiatização plataformização

    mais informações
  • Responsável pelo grupo: Profa. Dra. Michelle Prazeres Cunha | E-mail:[email protected]

    O grupo estuda as relações entre a Comunicação - entendida como o fazer organizativo das mediações imprescindíveis ao comum humano (SODRÉ, 2014) - e a lógica da aceleração social do tempo - compreendida enquanto regime temporal hegemônico da atualidade (ROSA, 2019) – e suas reverberações, efeitos, entrecruzamentos e interfaces com outros campos sociais.

    Ao olhar para a comunicação a partir da perspectiva da aceleração / desaceleração, considera-se que as tecnologias digitais conformam um entorno cultural e, portanto, atravessam o campo comunicacional e outros campos sociais (a educação, a saúde, a religião, o esporte, a política, as organizações sociais, o mercado e a família) como potenciais “condutoras de velocidade”.

    O esforço é o de compreender as tramas da comunicação em sua relação com a aceleração e as tecnologias e para “além das suas resultantes sociotécnicas, de modo a atuar na complexidade dos sistemas digitais de maneira redescritiva, crítica, criativa e dentro de um horizonte de autoquestionamento”, como sugere Sodré (2014).

    Palavras-chave: Comunicação Aceleração Velocidade Tempo Tecnologias Inovação Digital Cibercultura Ambientes digitais

    mais informações
  • Responsável pelo grupo: Prof. Dr. Carlos Eduardo Souza Aguiar | E-mail: [email protected]

    O grupo se dedica à compreensão do significado das mediações tecnológicas e dos objetos técnicos nos processos comunicativos contemporâneos, com enfoque nas novas relações entre técnica e cotidiano inauguradas pelas tecnologias digitais e em rede. Com base em uma abordagem necessariamente transdisciplinar e pluri-metodológica, espera-se agregar pesquisadores cujo objetivo é investigar como características-chave do atual momento tecnológico – a exemplo da pervasividade, ubiquidade, mobilidade, algoritmização, plataformização, dataficação – impactam na natureza dos vínculos sociais e nas relações de poder que atravessam a vida de todos os dias. Busca-se explorar, assim, a contribuição da filosofia e da sociologia da técnica para a epistemologia da comunicação, partindo, sobretudo, de um entendimento dos objetos técnicos e das tecnologias para além da mera instrumentalidade, considerando os agenciamentos, materialidades e imaginários tecnológicos dimensões decisivas do modo de ser e habitar o mundo.

    Palavras-chave: Tecnologia Redes Digitais Cotidiano Imaginário Dataficação Filosofia da Tecnologia

    mais informações

LINHA DE PESQUISA B - JORNALISMO, IMAGEM E ENTRETENIMENTO

  • Rersponsável pela área: Prof. Dr. Cláudio Novaes Pinto Coelho | E-mail: [email protected]

    A mercantilização e a presença das imagens são características fortemente presentes na comunicação contemporânea, e na vida social de modo geral. Há uma necessidade de se refletir sobre a relevância, dentro deste contexto, das análises, hoje clássicas, sobre a Indústria Cultural e a Sociedade do Espetáculo. Para fazer essa reflexão, as pesquisas a serem desenvolvidas, e que serão apresentadas em seminários organizados anualmente pelo grupo de pesquisa, priorizarão os seguintes aspectos: 1) Comunicação, Cultura e Sociedade do Espetáculo. 2) Comunicação e Política na Sociedade do Espetáculo. Serão analisados produtos midiáticos como as coberturas jornalísticas da indústria do entretenimento e as coberturas jornalísticas de campanhas eleitorais. Além disso, serão pesquisadas também as relações entre a produção artística, os espaços urbanos e a sociedade do espetáculo; assim como as principais características do exercício do poder e da produção de ideologia na sociedade do espetáculo. Os principais referenciais teóricos são os autores da Escola de Frankfurt, Guy Debord, além de pensadores que dialogam com este referencial como Jean Baudrillard, Christopher Lasch , Fredric Jameson e Anselm Jappe. Para o debate sobre a comunicação na sociedade contemporânea são relevantes também Milton Santos, Otávio Ianni e Venício Lima, bem como Ignácio Ramonet e Naomi Klein.

    Palavras-chave: Comunicação Sociedade do Espetáculo Imagens Sociedade Cultura Política Jornalismo Arte

    mais informações
  • Responsável pelo grupo: Profa. Dra. Simonetta Persichetti | E-mail: [email protected]

    O grupo desenvolve o projeto de pesquisa “Estudos Visuais” voltado para o entendimento do potencial informativo e comunicacional da imagem. O objetivo principal é compreender os significados não explícitos de uma imagem e estudar como se formam representações imagéticas na sociedade e como nos comportamos diante delas.

    Palavras-chave: Comunicação Cultura Imagem Informação Sociedade

    mais informações
  • Responsável pelo grupo: Prof. Dra. Marli dos Santos | E-mail: [email protected]

    As mudanças no jornalismo e a cultura tecnológica na sociedade contemporânea. O novo ecossistema midiático e seu impacto nas práticas de produção e difusão jornalísticas. Novos modelos e expressões do jornalismo para a democratização da informação. A contribuição do jornalismo para a formação de um pensamento mais crítico em vista da transformação social.

    Palavras-chave: Jornalismo Cultura Tecnologia Sociedade Mídia Contemporaneidade

    mais informações
  • Responsável pelo grupo: Prof. Dr. Liraucio Girardi Junior | E-mail: [email protected]

    Dedica-se a temas relacionados às mediações comunicacionais da Cultura no mundo contemporâneo, centradas na compreensão dos processos relacionados a sua ritualidade, socialidade, institucionalidade e tecnicidade(Martín-Barbero). Por meio das noções de ritualidade, socialidade e institucionalidade procura-se, por um lado, estabelecer uma aproximação dessa abordagem com determinadas linhas dos Estudos Culturais (Williams, Morley, Silverstone, Livingstone) e com a Economia das trocas simbólicas (Bourdieu). Por outro lado, pela apropriação crítica da noção de tecnicidade, procura-se aproximá-la de estudos centrados nos processos de digitalização, plataformização, dataficação, modulação, gestão algorítmica, comodificação das experiências cotidianas etc. (Zuboff, Gillespie, Cheney-Lippold, Striphas, van Dijck, Manovich, Morozov e outros).

    Palavras-chave: Mediações Cultura Ritualidade Socalidade Institucionalidade Tecnicidade

    mais informações