Ícone do título

Grupos de Pesquisa

LINHA DE PESQUISA A - TECNOLOGIA, ORGANIZAÇÕES E PODER

  • Responsável pelo grupo: Prof. Dr. Luís Mauro Sá Martino | E-mail: [email protected]

    Dedica-se ao estudo das questões vinculadas às Teorias da Comunicação, em particular na intersecção entre seu aspecto epistemológico e suas dimensões político-institucionais. Observa a apropriação e as articulações de teorias em relação à diversidade de recortes, olhares e objetos presentes na área. Na medida em que a Área de Comunicação parece se caracterizar por ramificações epistemológicas articuladas aos desdobramentos dos objetos de estudo, o eixo de investigação do grupo desenvolve-se na intersecção das perguntas “O que é Teoria da Comunicação?” e “O que é considerado ‘Teoria da Comunicação’ na Área?”. Busca-se a unidade metodológica do recorte de investigação nas apropriações teóricas existentes na diversidade das pesquisas empíricas desenvolvidas no âmbito do Grupo ou tangencialmente a ele.

    Palavras-chave: Teorias da Comunicação Metodologia Cultura Sociedade

    mais informações
  • Responsável pelo grupo: Profa. Dra. Ana Carolina Frazon Terra | E-mail: [email protected]

    O InfluCom nasce, em 2021, com a proposta de receber pesquisadores, estudantes e interessados em pesquisas envolvendo o Campo da Comunicação Organizacional, sobretudo aplicado ao digital e à influência, em função dos impactos e interferências decorrentes dos efeitos da midiatização, plataformização e dataficação. Caberá aos pesquisadores refletir e discutir acerca dos fenômenos que circundam as estratégias de exposição, visibilidade e relacionamento das organizações nas plataformas sociais e digitais. Um dos objetivos do grupo é promover a reflexão sobre as práticas da comunicação nas organizações e suas relações com as tecnologias digitais, contribuindo para o diálogo entre os agentes sociais desse ecossistema. Para tanto, abarca estudos ligados à Comunicação digital, inovações e tecnologias; Comunicação organizacional e seus sub-campos; Relações Públicas digitais; às sub-áreas da Comunicação (RP, PP. JOR e RTVI); Influência digital; Dados, algoritmos, governança; Plataformização; Midiatização e Visibilidade.

    Palavras-chave: comunicação organizacional digital influência midiatização plataformização

    mais informações
  • Responsável pelo grupo: Profa. Dra. Michelle Prazeres Cunha | E-mail:[email protected]perlibero.edu.br

    O grupo estuda as relações entre a Comunicação - entendida como o fazer organizativo das mediações imprescindíveis ao comum humano (SODRÉ, 2014) - e a lógica da aceleração social do tempo - compreendida enquanto regime temporal hegemônico da atualidade (ROSA, 2019) – e suas reverberações, efeitos, entrecruzamentos e interfaces com outros campos sociais.

    Ao olhar para a comunicação a partir da perspectiva da aceleração / desaceleração, considera-se que as tecnologias digitais conformam um entorno cultural e, portanto, atravessam o campo comunicacional e outros campos sociais (a educação, a saúde, a religião, o esporte, a política, as organizações sociais, o mercado e a família) como potenciais “condutoras de velocidade”.

    O esforço é o de compreender as tramas da comunicação em sua relação com a aceleração e as tecnologias e para “além das suas resultantes sociotécnicas, de modo a atuar na complexidade dos sistemas digitais de maneira redescritiva, crítica, criativa e dentro de um horizonte de autoquestionamento”, como sugere Sodré (2014).

    Palavras-chave: Comunicação Aceleração Velocidade Tempo Tecnologias Inovação Digital Cibercultura Ambientes digitais

    mais informações
  • Responsável pelo grupo: Prof. Dr. Carlos Eduardo Souza Aguiar | E-mail: [email protected]

    O grupo se dedica à compreensão do significado das mediações tecnológicas e dos objetos técnicos nos processos comunicativos contemporâneos, com enfoque nas novas relações entre técnica e cotidiano inauguradas pelas tecnologias digitais e em rede. Com base em uma abordagem necessariamente transdisciplinar e pluri-metodológica, espera-se agregar pesquisadores cujo objetivo é investigar como características-chave do atual momento tecnológico – a exemplo da pervasividade, ubiquidade, mobilidade, algoritmização, plataformização, dataficação – impactam na natureza dos vínculos sociais e nas relações de poder que atravessam a vida de todos os dias. Busca-se explorar, assim, a contribuição da filosofia e da sociologia da técnica para a epistemologia da comunicação, partindo, sobretudo, de um entendimento dos objetos técnicos e das tecnologias para além da mera instrumentalidade, considerando os agenciamentos, materialidades e imaginários tecnológicos dimensões decisivas do modo de ser e habitar o mundo.

    Palavras-chave: Tecnologia Redes Digitais Cotidiano Imaginário Dataficação Filosofia da Tecnologia

    mais informações

LINHA DE PESQUISA B - JORNALISMO, IMAGEM E ENTRETENIMENTO

  • Responsável pelo grupo: Prof. Dra. Marli dos Santos | E-mail: [email protected]

    As mudanças no jornalismo e a cultura tecnológica na sociedade contemporânea. O novo ecossistema midiático e seu impacto nas práticas de produção e difusão jornalísticas. Novos modelos e expressões do jornalismo para a democratização da informação. A contribuição do jornalismo para a formação de um pensamento mais crítico em vista da transformação social.

    Palavras-chave: Jornalismo Cultura Tecnologia Sociedade Mídia Contemporaneidade

    mais informações
  • Responsável pelo grupo: Prof. Dr. Liraucio Girardi Junior | E-mail: [email protected]

    Dedica-se a temas relacionados às mediações comunicacionais da Cultura no mundo contemporâneo, centradas na compreensão dos processos relacionados a sua ritualidade, socialidade, institucionalidade e tecnicidade(Martín-Barbero). Por meio das noções de ritualidade, socialidade e institucionalidade procura-se, por um lado, estabelecer uma aproximação dessa abordagem com determinadas linhas dos Estudos Culturais (Williams, Morley, Silverstone, Livingstone) e com a Economia das trocas simbólicas (Bourdieu). Por outro lado, pela apropriação crítica da noção de tecnicidade, procura-se aproximá-la de estudos centrados nos processos de digitalização, plataformização, dataficação, modulação, gestão algorítmica, comodificação das experiências cotidianas etc. (Zuboff, Gillespie, Cheney-Lippold, Striphas, van Dijck, Manovich, Morozov e outros).

    Palavras-chave: Mediações Cultura Ritualidade Socalidade Institucionalidade Tecnicidade

    mais informações