Comunicação organizacional e fatores de humanização: capital social e humor

Autor: Ademir Balbino Siqueira Filho
Tipo de produção: Produção científica
Classificação: Dissertação/Tese
Data:12/06/2012

Resumo

Esta dissertação tem como objeto de estudo o processo de humanização da comunicação organizacional  através da análise de duas dimensões relacionais: capital social e humor. Pautado pelos estudos  organizacionais críticos e pelo paradigma relacional/humano da comunicação organizacional, pretende-se analisar de que maneira o capital social e o humor contribuem para a humanização dos processos de comunicação no contexto das organizações, bem como a reciprocidade desse processo, isto é, como a humanização pode favorecer a noção de capital social e de humor no contexto organizacional. O que se enfatiza na perspectiva relacional, dialógica da comunicação são as pessoas, suas necessidades, discursos, valores e contribuições, o que é entendido como humanização da comunicação. Esse processo conduz à necessidade de perceber como as pessoas formam redes no interior das organizações e como fazem com que essas redes produzam vínculos de confiança, reciprocidade, participação, colaboração e engajamento. Assim, algumas categorias analíticas do conceito de capital social, como, por exemplo, as referentes à capacidade dos grupos sociais de interagir, criar redes, cooperar e empreender ações coletivas podem ser úteis nesse campo dos estudos organizacionais. Igualmente úteis são algumas categorias analíticas do conceito de humor, como, os estudos que o tratam como um fenômeno social, uma comunicação compartilhada entre indivíduos, que por meio de uma risada podem desenvolver concordância, harmonia, e reforçar relações. Para concretizarmos o estudo a cerca da humanização da comunicação organizacional, analisaremos o processo de comunicação gerado a partir o jornal produzido por uma indústria metalúrgica.
Palavras-chave: Comunicação Organizacional. Estudos Críticos. Humanização. Capital Social. Humor