Jornalismo e pessoas com deficiência – Construção de conceitos e superação de estigmas por meio da comunicação

Autor: Fernando Augusto Simões Saker
Tipo de produção: Produção científica
Classificação: Dissertação/Tese
Data: 11/03/2010

Resumo

Esta dissertação faz uma análise do tratamento dado pelo jornalismo brasileiro às pessoas com deficiência, tendo como objeto principal de estudo os jornais Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo. Busca, por meio desta análise, observar de que forma ocorre a formação de estigmas em relação a tal setor da sociedade e constatar quais são os motivos para esta estigmatização. A análise compreende os períodos em 2008 relativos às Paraolimpíadas de Pequim, ao Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência e ao Dia Internacional da Pessoa com Deficiência. Com base no referencial teórico apresentado – estruturado nos Estudos Culturais, Estudos Latinoamericanos de Comunicação e nos conceitos teóricos do Jornalismo – e nas constatações feitas dentro do campo dos Produtos Midiáticos, busca-se apresentar uma reflexão a respeito do problema exposto, de forma a buscar desfazer os estigmas relacionados às pessoas com deficiência e promover uma comunicação social que as inclua não como figuras à parte, mas como parte integrante da sociedade. É desta forma que este trabalho se insere nos estudos sobre produtos midiáticos, jornalismo e sociedade.
Palavras-chave: Jornalismo. Pessoa com deficiência. Estigma. Comunicação. Inclusão.