Street papers: comunicação e inclusão social

Autor: Julio Cesar Mansur Haddad
Tipo de produção: Produção científica
Classificação: Dissertação/Tese
Data: 14/12/2007

Resumo

Este trabalho apresenta os street papers, jornais ou revistas produzidos e/ou comercializados por pessoas em situação de rua em mais de setenta países nos cinco continentes. Os street papers surgiram como  ferramenta de reinclusão social de uma população excluída de seus direitos de cidadania. Esse processo se dá por meio da compra e venda das publicações, que oferece a possibilidade de lucro (e inclusão em um trabalho remunerado) e propicia também o desenvolvimento de relações sociais no  encontro entre vendedor e comprador. No Brasil, a revista Ocas” é produzida pela Organização Civil de Ação Social (Ocas) desde julho de 2001. Vendida nas ruas de São Paulo e Rio de Janeiro, integra a rede internacional de street papers, a International Networking of Street Paper (INSP) e se alinha às diretrizes da rede. Este trabalho apresenta o caso brasileiro da Ocas”, expondo seu histórico, suas características, suas propostas e sua produção. Faz isso, sobretudo, por meio de entrevistas com os vendedores e editores, que ajudam a traçar o histórico da publicação e também a conhecer melhor o projeto. A análise mostra que a revista nacional não se desviou das diretrizes do movimento internacional, podendo ser de fato considerada um street paper, apesar das diferenças entre os mais de setenta street papers existentes no mundo. Este estudo parte do resgate das teorias de comunicação de massa na visão de Ball- Rokeach e Mauro Wolf, e da indústria cultural segundo Theodor Adorno e Max Horkheimer. Usamos como referência também as teorias sobre mídia e mediação (Martín-Barbero e Canclini). O tema inclusão social é abordado por meio de textos de Ecléia Bosi, Aldaíza Sposati e Cicília M. K. Peruzzo.
Palavras-chave: comunicação, produção de informação, street paper, inclusão social, Ocas”, jornal de rua,