O plano CEIBAL e a constituição de ambientes comunicacionais em escolas, praças e famílias.

Autora: Helena Maria Cecília Navarrete
Tipo de produção: Produção científica
Classificação: Dissertação/Tese
Data: 21/03/2013

Resumo

O presente trabalho analisa alguns ambientes comunicacionais, como escolas, praças e famílias, a partir da implementação do Plano CEIBAL (Plan de Conectividad Educativa de Informática Básica para el Aprendizaje en Línea), uma política pública uruguaia de inclusão digital e social. De 2007 a maio de 2012, o governo uruguaio entregou aos alunos e professores das escolas públicas, inicialmente, e, neste último ano, também a escolas particulares, mais de 570.000 laptops (projeto OLPC – One Laptop Per Child) e 6.000 pontos de acesso gratuitos à internet em diferentes espaços públicos (escolas, praças, hospitais, ginásios, bibliotecas, etc.) do país. Ao propor e incentivar uma nova tipologia de mediação, em lugares com diferentes tipos de capilaridades comunicacionais, o Plano CEIBAL acaba direcionando e  endo direcionado pelos campos simbólicos, pela história e pela cultura uruguaia. A ecologia da comunicação de Vicente Romano, a escalada da abstração de Vilém Flusser, os estudos sobre as capilaridades da comunicação de Norval Baitello Junior e a teoria dos media de Harry Pross são utilizadas como quadro teórico para compreensão desses ambientes comunicacionais. A partir de uma postura dialógica para se observar, descrever e compreender a ecologia da comunicação nos ambientes estudados, esta dissertação registra indícios de que o tipo de vivência cultural modifica a forma de apropriação da tecnologia, ou seja, indícios de que, quando a vivência com a tecnologia é realizada de forma comunitária, a forma de apropriação possivelmente pode também ser inclusiva e solidária.
Palavras-chave: Processos Midiáticos. Plano CEIBAL. Ecologia da Comunicação. Capilaridades.Escalada da Abstração. Ambientes comunicacionais.