Contos de escritoras notáveis são adaptados para o rádio

Por: Marcela Schiavon, do Núcleo de Mídias Digitais

Saiba mais sobre o projeto de Rádio, TV e Internet

O projeto “Peça Radiofônica: Escritoras Notáveis” é um trabalho realizado pelos Casperianos do 4º ano de Rádio, TV e Internet para a disciplina “Direção de Rádio”. Além do objetivo de produzir uma peça radiofônica a partir de contos e narrativas de escritoras brasileiras e estrangeiras, o projeto proporcionou aos alunos a experiência de vivenciar um processo que envolve adaptação de texto, escalação de elenco, direção de atores, planejamento dos planos de captação de áudio, produção de efeitos sonoros, uso consciente da voz e da música, edição e montagem.

Segundo o professor Roberto D’Ugo, idealizador do projeto e coordenador do curso de Rádio, TV e Internet da Faculdade Cásper Líbero, em termos pedagógicos, o projeto buscou desenvolver e exercitar as competências narrativas dentro da linguagem radiofônica. Ele reitera a importância de compreender o papel da fala, da música, do ruído e do silêncio, articulados como linguagem dramática.

A peça radiofônica

Muito conhecida na Europa e produzida e consumida em países como Estados Unidos, Austrália, México e Argentina, a peça radiofônica é quase desconhecida no circuito das emissoras abertas do Brasil. Parente da radionovela, ela pode ser muitas coisas – mas todas ligadas a uma ideia criativa de rádio.

“Há um novo cenário se desenvolvendo. Se está ausente do rádio aberto, a peça radiofônica retornou com muita força na internet, graças à cultura do podcasting. Várias produções e séries baseadas em dramaturgia radiofônica têm despertando o interesse de jovens, no exterior e também no Brasil. (…) no formato de podcasts, cuja audiência tem crescido bastante nos últimos anos. Há ainda gêneros mistos em que ficção e realidade se encontram, como reportagens especiais, de caráter investigativo, em que a dramaturgia radiofônica atua provocando a imaginação do ouvinte, que, por sua vez, consome sua dose de entretenimento radiofônico da forma que quiser, como um Netflix radiofônico”, afirma Roberto D’Ugo.

O projeto 

Trabalhar em diálogo com uma autora, embora exista a distância, é algo inédito para a disciplina. Entre abril e maio, alunos de RTVI criaram roteiros baseados em contos e pequenas narrativas de escritoras brasileiras e estrangeiras. Após a decupagem dos textos originais, realizaram adaptações radiofônicas. Passaram, então, a pesquisar a sonoplastia, incluindo a busca por soluções de efeitos sonoros. Seguiram-se algumas sessões de ensaio, as gravações finais e a edição. O professor conta que o projeto é uma oportunidade de aprendizagem e contato com a literatura feminina.

“É uma oportunidade para alunos e ouvintes entrarem em contato com o universo ficcional produzido por mulheres (…) Em sala de aula, não foram muitos os alunos que conseguiram citar mais de três escritoras; havia, portanto, uma grande oportunidade para conhecer e divulgar esse repertório literário produzido por mulheres – a literatura feminina”.

As percepções de mundo das autoras

A Profa. Dra. Sonia Castino, coordenadora de Cultura Geral da Faculdade Cásper Líbero, afirma que a literatura feminina, aquela feita por escritoras, indiscutivelmente oferece ao leitor/à leitora uma percepção de mundo diferente da masculina, em que as mulheres podem se reconhecer e os homens encontrar a oportunidade de completude.

“A escrita feminina vai além do tema e revela marcas específicas da condição da mulher, transfigurada em estilo e estruturante do próprio texto. Isso não a impede de transbordar para questões de âmbito geral, pertinente a todo ser humano. Basta lembrar de Clarice Lispector, Lygia Fagundes Telles, Sônia Coutinho, Hilda Hilst, Helena Parente Cunha, Marina Colasanti, Lya Luft, Isabel Allende, Ana Maria Machado, Nélida Piñon e tantas outras”.

Thelma Guedes, Lygia Fagundes Telles, Clarice Lispector, Cora Coralina, Agatha Christie e Xinran foram alguns dos nomes levantados e pesquisados com os alunos. Depois de verificar o interesse pelas obras de Thelma Guedes, que esteve na Cásper em 2015 para ministrar uma Aula Magna e deixou alguns exemplares de dois livros de contos, houve o contato com a autora, que adorou a ideia.

Surgiu uma espécie de colaboração a distância entre alunos/realizadores e a autora dos textos –  muitos contos de Thelma têm um caráter existencial e estabelecem conexões com as obras de Clarice Lispector e de Guimarães Rosa. Para o projeto, o professor Roberto D’Ugo fez uma pré-seleção dos contos da autora: O Matador e o Poema, A Liga de Kali, Roteiro de uma Cena Noturna, O Ponto, Coisa do Coisa e Scroll lock.

A opinião de Thelma Guedes

Thelma, escritora e autora de telenovelas como Joia Rara e Cordel Encantado, quis acompanhar um pouco do processo recebendo fotos e trechos em vídeo dos ensaios e gravações feitos nos estúdios da Cásper. Uma parte desse material foi publicada nas redes sociais dela e dos alunos, que gostaram muito dessa troca. Alguns grupos produziram mensagens carinhosas e verdadeiros making offs da produção para que ela os publicasse em sua página no Facebook ou em seu blog. Thelma afirma que vê riqueza nesse diálogo entre as obras literárias e suas releituras. “As adaptações dos alunos ampliam a leitura dos meus contos. Divulgando o trabalho de vocês, permito que mais pessoas acessem a minha obra de um jeito novo e instigante!”.

Thelma Guedes | Foto: Cristina Granato

A adaptação dos contos foi um processo longo. Um dos objetivos era que o conto ficasse muito bem explicado, afinal, a linguagem de rádio é diferente da linguagem usada em contos, que são feitos, primordialmente, para serem lidos e não ouvidos.

“(…) A adaptação é a ‘minha voz’ com a ‘voz de quem adapta’; e quando a gente escreve espera que o leitor recrie a nossa obra. Essa recriação na linguagem do rádio me faz ‘ouvir’ melhor as histórias que eu criei. (…) Eu recebo isso como um presente! E minha avaliação sobre as adaptações, feitas pelos alunos dos meus contos, é a melhor possível. Acho a dramaturgia radiofônica muito difícil, porque é preciso fazer o ouvinte ‘ver’ as cenas, entender o contexto, sentir o clima da história que está sendo contada, apenas por meio de sons e diálogos. O que mais me tem impressionado é a criatividade dos alunos na criação das ambientações e atmosferas dos contos. Parece que estamos “dentro” dos contos, ao ouvi-los. Muito bom mesmo!”

A transmissão na Rádio Gazeta AM 

As peças radiofônicas que se destacaram estão sendo transmitidas pela rádio durante algumas sextas-feiras (21h), com reprise aos sábados (10h). A Rádio Gazeta AM é uma emissora dirigida pela Faculdade Cásper Líbero e conta com a colaboração dos alunos da instituição.

Segundo Thelma Guedes, a experiência é muito significativa para os estudantes. “Acho muito importante para os alunos terem essa experiência de ‘verdade’. Aumenta a motivação, mas também a responsabilidade. Afinal, terão seus trabalhos expostos, fora da sala de aula. É como alguém que está aprendendo a pilotar um avião, sair do simulador, para a pista e pro ar. Mesmo que seja um voo breve, é uma grande experiência. Para mim, depois de 20 anos de profissão, é maravilhoso ter a possibilidade de dialogar com jovens que estão começando agora. E, afinal, estou fazendo esse ‘voo’ inaugural com eles, porque nunca tive meus textos adaptados para rádio”.

Veja a programação dos trabalhos de RTVI exibidos na Rádio Gazeta AM:
19.05.17 – O ponto – conto de Thelma Guedes (Amanda Penida, Enrico Verta, Luiz Hirschmann, Raquel Loreto). Dur. 19’10 – 4ºRTVI A 2017.

26.05.17 – A Liga de Kali – conto de Thelma Guedes (Giovanna Quarterone, Gustavo Queiroz, Lucas Crizza, Lucas Domizio, Mariana Zanzini). Dur. 10’28 – 4ºRTVI C 2017.

02.06.17. – Coisa do Coisa – conto de Thelma Guedes (Ana Paula Cunha, Karla Galvão, Letícia Pontes, Martha Assumpção). Dur. 11’12 – 4ºRTVI A 2017.

09.06.17 – Scroll Lock – conto de Thelma Guedes (Ana Luísa Gobbi, Bruno Garcia, Lucas Nascimento, Pedro Fuoco). Dur. 7´48 – 4ºRTVI A 2017.

16.06.17 – O ponto – conto de Thelma Guedes (Ariela Lopes, Clara Nonato, Dafinny Logrado, Lucas Farias, Marcela Brum, Maria Beatriz Domingos e Miriam Morales). Dur. 10’20 – 4ºRTVI C 2017.

23.06.17 – Coisa do Coisa – conto de Thelma Guedes (André Carvalho, Matheus Suman, Paulo Vita, Tácia Herstig). Dur. 12´52 – 4ºRTVI A 2017.

30.06.17 – O ponto – conto de Thelma Guedes (Danilo Carvalho, Gabriela Henriques, Gabrielle Malerba Jezernicky, Letícia Espíndola, Marcellus Fonseca). Dur. 14´50 – 4ºRTVI C 2017.

07.07.17 – Scroll Lock – conto de Thelma Guedes (Beatriz Falcão, Caio Vinicius Guedes, Laís Sobrinho, Leandro Mezzarano, Victoria Deieno). Dur. 6’20 – 4ºRTVI C 2017.

Saiba mais no site da Rádio Gazeta AM!

“Foi muito gratificante o mergulho nesse universo de palavras e imagens de Thelma Guedes: há uma riqueza de sonoridades e ritmos nelas” – Roberto D’Ugo.

Confira os bastidores do desenvolvimento dos trabalhos dos Casperianos: