Festival “Sampa Music Festival”conta com rock eclético na edição de 2014

Por: Rodrigo Batista

Festival de música independente traz bandas de diversos gêneros do rock

logo_arruaça

Edição nº 1 – 2014

Apresentação em 2013 da Rancore no Sampa Music Festival Crédito: Guel Castro

Apresentação em 2013 da Rancore no Sampa Music Festival
Crédito: Guel Castro

O festival de música independente Sampa Music Festival chegou a sua 11ª edição no mês de junho deste ano. Contando com 14 atrações, o evento marcou o show de despedida da banda Rancore, e apresentou outras atrações como Glória, Forfun e Fresno.

Com início das atividades em 30 de agosto de 2009 (quando ainda chamava Sampa Rocks Fest), o SMF foi fundado por Régis Renan (Agência Versus One) e Valdinei “Tatá” (Agência SobConctrole), dois amigos que tinham vontade de realizar um festival de música em São Paulo com características ecléticas ligadas aos vários gêneros do rock brasileiro.

Segundo Régis, a proposta do festival é agregar o público em torno de novas mentalidades e novos comportamentos. Parece ter dado certo, já que em quase todos os anos os ingressos esgotam-se em poucos dias.
Integrante de uma das principais bandas de rock do meio underground de São Paulo, o baixista Rodrigo Caggegi da Rancore, falou sobre a experiência de tocar no SMF, e da interrupção das atividades por um período indeterminado (um dos integrantes do grupo fará uma viagem, e assim a banda, não poderá dar sequência ao trabalho).

10ª edição do festival reúne mais de 3.000 pessoas no Espaço Victory na Penha Crédito: Maikonn Batista

10ª edição do festival reúne mais de 3.000 pessoas no Espaço Victory na Penha
Crédito: Maikonn Batista

“Sinto como se estivesse em um Lolapalooza com proporções menores. É ótimo ver um festival dando espaço para bandas menores, e tenho certeza de que todas são qualificadas para tocarem e passar sua mensagem. Temos bandas como o Forfun que toca mais reggae, o Glória que é mais metal e o Fresno, o que é mais

melódico, e isso é ótimo. A mistura de todos esses gêneros traz a riqueza da música brasileira independente. É um evento que sempre conta com a cobertura de alguns veículos de comunicação, e isso traz credibilidade ao festival”, falou Caggegi.

Os shows da 11ª edição do festival serviram de vitrine para novas bandas no cenário nacional. Localizado no bairro da Penha, o Espaço Victory serviu de palco para esse show, que, segundo os organizadores, foi inesquecível para todos os envolvidos.

Rodrigo Caggegi (baixista da Rancore) fala sobre experiência de tocar no SMF Rodrigo Batista

Rodrigo Caggegi (baixista da Rancore) fala sobre experiência de tocar no SMF
Rodrigo Batista