A arte de utilizar os espaços públicos

Por: Giovana Costa Alfredo

logo_arruaça

Edição nº zero – 2013

Como toda grande metrópole, a cidade de São Paulo apresenta muitos espaços ao ar livre, como parques e praças, que são utilizados das formas mais variadas. A Voodoohop, por exemplo, começou em 2009, no Bar do Netão, na rua Augusta, como um evento pequeno, mas que abria possibilidades para que artistas pouco conhecidos pudessem mostrar seus trabalhos. O movimento foi se desenvolvendo e mais pessoas começaram a participar dele. Com isso, a Voodoohop passou a ocupar espaços ao ar livre ou em prédios abandonados da cidade de São Paulo. Em 2012, firmou uma parceria com a prefeitura paulistana, participando do encerramento da 30° Bienal de Arte e, também, da Virada Cultural Paulista, na Cracolândia. Hoje, a Voodoohop é um evento de repercussão internacional, já tendo participado do Fusion Festival, na Alemanha. Outro evento de grande importância na utilização de praças e parques é o Experimenta SP, que já ocorreu na Praça Pôr do Sol e, em 2013, ocupou a Praça da República. Promovido por iniciativa popular, o Experimenta é um projeto coletivo, que desenvolve atividades ligadas à arte, cultura, esporte e comportamento.