Revista Esquinas

Revista impressa e eletrônica feita pelos alunos da Faculdade Cásper Líbero

Edição atual

A Revista Esquinas continua no papel, seguindo a tradição, mas também se atualiza e embarca na era digital, levando seu conteúdo cada vez mais longe. Para conhecer o novo site, clique aqui.

A nova edição de ESQUINAS que chega às suas mãos marca um novo momento da revista laboratorial da Cásper Líbero. Dando continuidade às mudanças iniciadas no início de 2017, no primeiro semestre de 2018, enquanto trabalhávamos neste exemplar, ganhamos um site de notícias com atualizações diárias. Desta maneira, além das reportagens cuidadosamente lapidadas que você encontra na publicação em papel, também é possível agora ler notícias “esquineiras” no mundo digital sobre temas quentes e importantes de São Paulo e do Brasil.
Em um cenário conturbado como o das Eleições que se aproximam, cercadas por desafios econômicos e institucionais, ESQUINAS não poderia se furtar a falar do presente político do País, de seu passado complexo e dos projetos que precisam ser desenhados para um futuro bem breve. Futuro esse que hoje parece tão incerto quanto volátil quando o assunto são os rumos que a Nação irá tomar a partir de janeiro de 2019.
Três décadas da Constituição Cidadã, troca de nomes de partidos, análises estruturais de legendas como o MDB e o PSDB se mesclam no dossiê desta edição sempre a partir da visão e dos valores plurais que marcam a posição dos jovens brasileiros sobre a política nacional.
Também aproveitamos o “gancho”, como se diz no jargão jornalístico, deste momento histórico do Brasil e do mundo para criarmos uma nova seção: a partir desta edição, assuntos antigos que dialoguem com a conjuntura atual serão resgatados em “Arquivo”. Para inaugurarmos a coluna, Fernanda Talarico escreve sobre “Os Sonhadores”, longa-metragem de Bernardo Bertolucci que tem como pano de fundo o célebre Maio de 1968, em Paris, que, não por acaso, está completando 50 anos como um movimento que uniu jovens em torno de questões políticas e comportamentais com desejos revolucionários.
Por último, tentando delinear com mais precisão “o estado das coisas”, como denomina o editor Pedro Garcia, ESQUINAS traz em suas páginas reportagens como a da Cracolândia, em São Paulo, narrada a partir do ponto de vista participativo dos repórteres Ailane Roma, Monique Polerá e Bruno de Lima. Também exibe textos que discutem tanto a censura que a arte vem sofrendo neste Brasil em que é preciso duelar com o retrocesso sociocultural todos os dias quanto que falam de povos como os ciganos que, apesar de desterritorializados, seguem resistindo, inclusive no Brasil, pátria tão distante de seu continente de origem.

Por Márcio Rodrigo, editor-chefe
revistaesquinas.casperlibero.edu.br