Revista Líbero

Revista eletrônica do Programa de Mestrado em Comunicação da Faculdade Cásper Líbero – ISSN 2525-3166

Edição atual

Líbero Ano XXII – nº 44 – jul/dez 2019

Na atual conjuntura política nacional as pesquisas aqui compartilhadas representam uma forma de resistência em relação aos projetos que subestimam a importância do estudo das humanidades nas universidades brasileiras.

O dossiê reúne trabalhos avaliados por pareceristas de um conjunto de universidades brasileiras e debatidos no Grupo de Trabalho Comunicação e Cultura durante o 28º Encontro Anual da Compós, a Associação Nacional dos Programas de Pós-graduação em Comunicação, realizado em junho de 2019 na PUCRS – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre.

Os trabalhos apresentados, aperfeiçoados no diálogo com os relatores e com os participantes do encontro, expressam as perspectivas expostas na ementa do Grupo de Trabalho Comunicação e Cultura: “Comunicação, cultura e suas interfaces. As relações entre os meios de comunicação, a cultura onde atuam e suas dimensões subjetivas: a memória, a sensibilidade, a afetividade. Diálogos interdisciplinares com a história, a sociologia, a antropologia e os estudos culturais. Os cenários atuais e históricos da cultura da comunicação, considerando as mediações e os vínculos e, a partir destes, a ação integradora e os efeitos culturais das práticas midiáticas. Comunicação, identidade e identificações. Articulação entre espaço, corpo, texto e imagem, crises e tensões. As representações culturais da visualidade, da oralidade, da audibilidade, da gestualidade e dos territórios simbólicos em sua relação com as diferentes mídias. Cultura, memória e registro. Paradigmas, teorias e autores para uma reflexão acerca da relação entre comunicação e cultura”.

Os diferentes textos do dossiê abordam questões como: o ambiente das experiências em uma sociedade tecnológica e os processos de produção de alteridades no contexto da cultura; as formas de vinculação na perspectiva das ciências da cultura e o sentido do ouvir como atenuante para a crescente abstração do mundo contemporâneo; as narrativas históricas no contexto do desenvolvimento da cultura; a forma como a umbanda e fenômenos culturais de origem não europeia são apagados e (in)visibilizados nos meios de comunicação; os modos de fundamentação da verdade que mimetizam discursos logicamente estruturados sem o sê-lo; a incerteza e a complementariedade dos opostos princípios para a instauração de uma perspectiva compreensiva nos campos da cultura e das práticas sociais de conhecimento; o uso das redes digitais que combinam interagentes culturais, territoriais e tecnológicos por parte de cidadãos e cidadãs africanos(as) em situação de migração; a articulação entre comunicação, memória e cultura no estudo das sonoridades dos jogos eletrônicos; o questionamento a respeito da forma como o discurso sobre relações abusivas confere às mulheres autonomia em suas relações íntimas.

Na seção Artigos esta edição conta com dois trabalhos. Um estudo a respeito das reportagens de Eliane Brum junto a comunidades ribeirinhas do norte do Brasil, publicadas no portal El País Brasil (2015, 2016, 2017), e uma pesquisa indicando como a narrativa busca envolver emocionalmente o consumidor para estabelecer um vínculo com uma marca em uma campanha publicitária. A seção Resenhas apresenta o livro Televisão: tecnologia e forma cultural, de Raymond Willians.

No ano do centenário de nascimento de Vilém Flusser (1920-1991), a próxima edição da Líbero, no primeiro semestre de 2020, contará com textos recebidos em fluxo contínuo e também com um dossiê organizado por dois editores convidados: Norval Baitello Junior (PUC-SP) e Diogo Bornhausen (FAAP e UFRN), respectivamente Diretor Científico e Diretor de Pesquisas do Arquivo Vilém Flusser São Paulo (www.arquivovilemflussersp.com.br). Até 15 de abril de 2020 serão recebidas propostas de textos ao redor do tema “A culturologia de Vilém Flusser em sua correspondência” e da ementa: “A correspondência do filósofo tcheco-brasileiro. O autor produziu e preservou uma copiosa correspondência com os mais diversos interlocutores, com os quais tratou de temas de variada gama como: imagem, escrita, gesto, máscaras, festas, cidade, arte, casa, aparatos, religiosidade, literatura, ditadura, técnica, projeções, cenários, educação, comunicação, filosofia, judaísmo, ser brasileiro, exílio, paisagem, natureza e lixo. Os conceitos expressos na correspondência antecipam aqueles posteriormente publicados nos livros e são formulados de maneira mais informal e clara, como se estivesse ensaiando para escrever seus textos em forma acabada. Desenvolveu aí uma teoria da cultura de extrema complexidade e de destacado teor de inovação”.

Agradecemos a Direção da Faculdade Cásper Líbero, a Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Comunicação, aos profissionais responsáveis pelas mídias digitais da Faculdade e, dentre todos envolvidos nesta publicação, especialmente Giulia Garcia, monitora que acompanhou esta edição. Agradecemos o convite de Simonetta Persichetti e Marcelo Santos, editores da Líbero, para organização do dossiê Comunicação, Cultura e Resistência, um gesto sensível à importância dos estudos de comunicação e cultura para as transformações socioculturais pelas quais passa a América Latina. Um indicativo de que a pesquisa acadêmica é uma forma de resistência aos programas sociais e políticos que desdenham dos potenciais afetivos da educação como prática da liberdade.

Boa leitura.

Presidente

Paulo Camarda

Diretor da Faculdade

Welington Wagner Andrade

Editores dessa edição:

Marcelo Santos e Simonetta Persichetti

Comissão Editorial:

Marli dos Santos, Marcelo Santos e Simonetta Persichetti


Líbero, revista do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Faculdade Cásper Líbero, de periodicidade semestral, publica trabalhos inéditos, de autoria individual ou coletiva, sob a forma de artigos ou resenhas, de autores nacionais e estrangeiros. Os textos enviados à revista para publicação (Ver Normas para Colaboradores) devem estar situados no campo de pesquisa articulado em torno da área de concentração do Programa, “Comunicação na Contemporaneidade”, e de suas linhas de pesquisa, “Processos midiáticos: tecnologia, cidadania e mercado” e “Produtos midiáticos: jornalismo, imagem e entretenimento”.


Onde Encontrar

Chamada para trabalhos