Contos de escritoras notáveis são adaptados para o rádio

Por: Marcela Schiavon, do Núcleo de Mídias Digitais

Saiba mais sobre o projeto de Rádio, TV e Internet

O projeto “Peça Radiofônica: Escritoras Notáveis” é um trabalho realizado pelos Casperianos do 4º ano de Rádio, TV e Internet para a disciplina “Direção de Rádio”. Além do objetivo de produzir uma peça radiofônica a partir de contos e narrativas de escritoras brasileiras e estrangeiras, o projeto proporcionou aos alunos a experiência de vivenciar um processo que envolve adaptação, escalação de elenco, direção de atores, planejamento dos planos de captação de áudio, produção de efeitos sonoros, uso consciente da voz e da música, edição e montagem.

Segundo o professor Roberto D’Ugo, idealizador do projeto e coordenador do curso de Rádio, TV e Internet da Cásper Líbero, em termos pedagógicos, o projeto buscou desenvolver e exercitar as competências narrativas dentro da linguagem radiofônica. Ele reitera a importância de compreender o papel da fala, da música, do ruído e do silêncio, articulados como linguagem dramática.

A peça radiofônica

Muito conhecida na Europa e produzida e consumida em países como Estados Unidos, Austrália, México e Argentina, a peça radiofônica é quase desconhecida no circuito das emissoras abertas do Brasil. Parente da radionovela, ela pode ser muitas coisas – mas todas ligadas a uma ideia criativa de rádio.

“Há um novo cenário se desenvolvendo. Se está ausente do rádio aberto, a peça radiofônica retornou com muita força na internet, graças à cultura do podcasting. Várias produções e séries baseadas em dramaturgia radiofônica têm despertando o interesse de jovens, no exterior e também no Brasil. (…) no formato de podcasts, cuja audiência tem crescido bastante nos últimos anos. Há ainda gêneros mistos em que ficção e realidade se encontram, como reportagens especiais, de caráter investigativo, em que a dramaturgia radiofônica atua provocando a imaginação do ouvinte, que, por sua vez, consome sua dose de entretenimento radiofônico da forma que quiser, como um Netflix radiofônico”, afirma Roberto D’Ugo.

O projeto 

Trabalhar em diálogo com uma autora, embora exista a distância, é algo inédito para a disciplina. Entre abril e maio, alunos de RTVI criaram roteiros baseados em contos e pequenas narrativas de escritoras brasileiras e estrangeiras. Após a decupagem dos textos originais, realizaram adaptações radiofônicas. Passaram, então, a pesquisar a sonoplastia, incluindo a busca por soluções de efeitos sonoros. Seguiram-se algumas sessões de ensaio, as gravações finais e a edição. O professor conta que o projeto é uma oportunidade de aprendizagem e contato com a literatura feminina.

“É uma oportunidade para alunos e ouvintes entrarem em contato com o universo ficcional produzido por mulheres (…) Em sala de aula, não foram muitos os alunos que conseguiram citar mais de três escritoras; havia, portanto, uma grande oportunidade para conhecer e divulgar esse repertório literário produzido por mulheres – a literatura feminina”.

As percepções de mundo das autoras

A Profa. Dra. Sonia Castino, coordenadora de Cultura Geral da Faculdade Cásper Líbero, afirma que a literatura feminina, aquela feita por escritoras, indiscutivelmente oferece ao leitor/à leitora uma percepção de mundo diferente da masculina, em que as mulheres podem se reconhecer e os homens encontrar a oportunidade de completude.

“A escrita feminina vai além do tema e revela marcas específicas da condição da mulher, transfigurada em estilo e estruturante do próprio texto. Isso não a impede de transbordar para questões de âmbito geral, pertinente a todo ser humano. Basta lembrar de Clarice Lispector, Lygia Fagundes Telles, Sônia Coutinho, Hilda Hilst, Helena Parente Cunha, Marina Colasanti, Lya Luft, Isabel Allende, Ana Maria Machado, Nélida Piñon e tantas outras”.

Thelma Guedes, Lygia Fagundes Telles, Clarice Lispector, Cora Coralina, Agatha Christie e Xinran foram alguns dos nomes levantados e pesquisados com os alunos. Depois de verificar o interesse pelas obras de Thelma Guedes, que esteve na Cásper em 2015 para ministrar uma Aula Magna e deixou alguns exemplares de dois livros de contos, houve o contato com a autora, que adorou a ideia.

Surgiu uma espécie de colaboração a distância entre alunos/realizadores e a autora dos textos –  muitos contos de Thelma têm um caráter existencial e estabelecem conexões com as obras de Clarice Lispector e de Guimarães Rosa. Para o projeto, o professor Roberto D’Ugo fez uma pré-seleção dos contos da autora: O Matador e o Poema, A Liga de Kali, Roteiro de uma Cena Noturna, O Ponto, Coisa do Coisa e Scroll lock.

A opinião de Thelma Guedes

Thelma, escritora e autora de telenovelas como Joia Rara e Cordel Encantado, quis acompanhar um pouco do processo recebendo fotos e trechos em vídeo dos ensaios e gravações feitos nos estúdios da Cásper. Uma parte desse material foi publicada nas redes sociais dela e dos alunos, que gostaram muito dessa troca. Alguns grupos produziram mensagens carinhosas e verdadeiros making offs da produção para que ela os publicasse em sua página no Facebook ou em seu blog. Thelma afirma que vê riqueza nesse diálogo entre as obras literárias e suas releituras. “As adaptações dos alunos ampliam a leitura dos meus contos. Divulgando o trabalho de vocês, permito que mais pessoas acessem a minha obra de um jeito novo e instigante!”.

A adaptação dos contos foi um processo longo. Um dos objetivos era que o conto ficasse muito bem explicado, afinal, a linguagem de rádio é diferente da linguagem usada em contos, que são feitos, primordialmente, para serem lidos e não ouvidos.

Thelma Guedes | Foto: Cristina Granato

 

“(…) A adaptação é a ‘minha voz’ com a ‘voz de quem adapta’; e quando a gente escreve espera que o leitor recrie a nossa obra. Essa recriação na linguagem do rádio me faz ‘ouvir’ melhor as histórias que eu criei. (…) Eu recebo isso como um presente! E minha avaliação sobre as adaptações, feitas pelos alunos dos meus contos, é a melhor possível. Acho a dramaturgia radiofônica muito difícil, porque é preciso fazer o ouvinte ‘ver’ as cenas, entender o contexto, sentir o clima da história que está sendo contada, apenas por meio de sons e diálogos. O que mais me tem impressionado é a criatividade dos alunos na criação das ambientações e atmosferas dos contos. Parece que estamos “dentro” dos contos, ao ouvi-los. Muito bom mesmo!”

A transmissão na Rádio Gazeta AM 

As peças radiofônicas que se destacaram estão sendo transmitidas pela rádio durante algumas sextas-feiras (21h), com reprise aos sábados (10h). A Rádio Gazeta AM é uma emissora dirigida pela Faculdade Cásper Líbero e conta com a colaboração dos alunos da instituição.

Segundo Thelma Guedes, a experiência é muito significativa para os estudantes. “Acho muito importante para os alunos terem essa experiência de ‘verdade’. Aumenta a motivação, mas também a responsabilidade. Afinal, terão seus trabalhos expostos, fora da sala de aula. É como alguém que está aprendendo a pilotar um avião, sair do simulador, para a pista e pro ar. Mesmo que seja um voo breve, é uma grande experiência. Para mim, depois de 20 anos de profissão, é maravilhoso ter a possibilidade de dialogar com jovens que estão começando agora. E, afinal, estou fazendo esse ‘voo’ inaugural com eles, porque nunca tive meus textos adaptados para rádio”.

Veja a programação dos trabalhos de RTVI exibidos na Rádio Gazeta AM:
19.05.17 – O ponto – conto de Thelma Guedes (Amanda Penida, Enrico Verta, Luiz Hirschmann, Raquel Loreto). Dur. 19’10 – 4ºRTVI A 2017.

26.05.17 – A Liga de Kali – conto de Thelma Guedes (Giovanna Quarterone, Gustavo Queiroz, Lucas Crizza, Lucas Domizio, Mariana Zanzini). Dur. 10’28 – 4ºRTVI C 2017.

02.06.17. – Coisa do Coisa – conto de Thelma Guedes (Ana Paula Cunha, Karla Galvão, Letícia Pontes, Martha Assumpção). Dur. 11’12 – 4ºRTVI A 2017.

09.06.17 – Scroll Lock – conto de Thelma Guedes (Ana Luísa Gobbi, Bruno Garcia, Lucas Nascimento, Pedro Fuoco). Dur. 7´48 – 4ºRTVI A 2017.

16.06.17 O ponto – conto de Thelma Guedes (Ariela Lopes, Clara Nonato, Dafinny Logrado, Lucas Farias, Marcela Brum, Maria Beatriz Domingos e Miriam Morales). Dur. 10’20 – 4ºRTVI C 2017.

23.06.17 – Coisa do Coisa – conto de Thelma Guedes (André Carvalho, Matheus Suman, Paulo Vita, Tácia Herstig). Dur. 12´52 – 4ºRTVI A 2017.

30.06.17 – O ponto – conto de Thelma Guedes (Danilo Carvalho, Gabriela Henriques, Gabrielle Malerba Jezernicky, Letícia Espíndola, Marcellus Fonseca). Dur. 14´50 – 4ºRTVI C 2017.

07.07.17 – Scroll Lock – conto de Thelma Guedes (Beatriz Falcão, Caio Vinicius Guedes, Laís Sobrinho, Leandro Mezzarano, Victoria Deieno). Dur. 6’20 – 4ºRTVI C 2017.

Saiba mais no site da Rádio Gazeta AM!

“Foi muito gratificante o mergulho nesse universo de palavras e imagens de Thelma Guedes: há uma riqueza de sonoridades e ritmos nelas” – Roberto D’Ugo.

Confira os bastidores do desenvolvimento dos trabalhos dos Casperianos: