Cia Suno, uma família de palhaços

Por: Francine Linge

Composta por uma atriz dramática e circense e um artista acrobata, a Cia Suno foi fundada para realização de um sonho: a criação de um núcleo de pesquisa cênica

logo_arruaça

Edição nº 1 – 2014

Espetáculo “Ensaio Sob a Chuva” | Crédito: Avelino Fernandes

Espetáculo “Ensaio Sob a Chuva” | Crédito: Avelino Fernandes

A Cia Suno foi fundada em 1998, na cidade de Santos, São Paulo. Helena Figueira e seus amigos sonhavam com a criação de um núcleo de pesquisa cênica na cidade. Com a chegada do palhaço, malabarista, e, por fim, seu marido, Duba Becker, à companhia, perceberam a proximidade que tinham com a linguagem do palhaço, a mímica, o teatro físico e a dança. Assim a influência das técnicas circenses começa a sobressair na família Suno.
Hoje se pode definir a Cia Suno como uma dupla que agrega parceiros.

Helena Figueira de Moura Ramos, é formada em circo pela École National du Cirque Annie Fratelini, em Paris. Fez cursos na França, Inglaterra, Itália, Suíça e Estados Unidos. Participou de espetáculos como “Policarpo” e “Medéia”.

Com a Cia. Suno participa dos espetáculos “O Cientista e a Lua”, “Dia de Festa”, “O Buraco”, “A Bailarina e o Palhaço”, “Estripulias no circo”, “Carpinteiros em Domicílio”, “Estudos sob a chuva”, “Contos em Cantos” e “Despautérios”.

Eduardo Russo-Becker, ou simplesmente Duba Becker, é malabarista, acrobata e palhaço. Já se apresentou em diversos países, entre eles Alemanha e Argentina. É integrante da Cia SUNO desde 2005, e participa dos seguintes espetáculos: “O Cientista e a Lua”, “Dia de Festa”, “A Bailarina e o Palhaço”; “Estripulias no Circo”, “O circo de um Homem Só”, “Ensaio Sob a Chuva”, “Sanduba Delivery”, “Carpinteiros em Domicílio”, “Cabaré de Bolso” e “Despautérios”.

Como tudo começou? Onde e como surgiu a Cia Suno?
Helena: A Cia. SUNO nasceu em Santos em 1998. Alguns amigos se reuniam para fazer improvisos e experimentações… Logo formamos a Cia. SUNO.

Vocês apresentam os espetáculos para públicos pagantes e também em espaços livres, para não pagantes. Sentem diferenças entre esses públicos?
Helena: Na verdade eu não sinto diferença entre o público pagante e não pagante. Sinto sim do público de cidades grandes e cidades pequenas.

Duba: Não sinto diferença alguma.

Espetáculo “Sanduba Delivery” | Crédito: Avelino Fernandes

Espetáculo “Sanduba Delivery” | Crédito: Avelino Fernandes

Como é a estrutura dos shows da Cia.?
Helena: São espetáculos de palhaço, sempre com enredo e bastante número de habilidade técnica. Alguns exclusivamente para ruas e outros para salas de espetáculo. Cada um com uma pesquisa específica.

Como é trabalhar com arte no Brasil?
Helena: Acho que é duro, mas como em vários lugares também sei que é. Bom que aqui no Estado de São Paulo temos a rede Sesc que propõe diversas atrações a preços populares. Movimenta muito a classe artística. Também no campo da pesquisa, acredito que ainda estamos atrasados, precisamos estar atentos nas buscas e aras de trocas de conhecimento.

Duba: É bom. Sou feliz aqui.

Conseguem viver da arte? Ganham dinheiro com a Cia.?
Helena: Nós vivemos apenas do nosso trabalho como palhaços.
Duba: A arte é minha vida!

Como surgem as ideias dos espetáculos? Buscam inspirações internacionais?
Helena: As ideias aparecem das maneiras mais inusitadas. Às vezes em uma conversa ou um treino específico. Às vezes de um assunto ou situação. Cada espetáculo foi um caso diferente.

Duba: Sim, sempre vejo vídeos e me inspiro em coisas boas nacionais e internacionais. Tem muita gente incrível por ai.

Como definiria a Cia Suno?
Helena: Hoje é uma dupla, que agrega parceiros e que tenta trilhar um caminho sempre com mais aprendizado. Fazendo arte e trocando conhecimento e alegria.
Duba: Somos uma família de palhaços!

Sonham com algo mais? Onde pretendem chegar?
Helena: Sempre sonhamos, é o que nos mantém vivos. Pretendo crescer, amadurecer e conseguir tocar um pouco as pessoas dos cantos por onde passo.
Duba: Ser um bom palhaço já é um caminho muito longo. Um sonho!

VALE A PENA SABER:

Espetáculo “O Buraco” | Crédito: Avelino Fernandes

Espetáculo “O Buraco” | Crédito: Avelino Fernandes

A companhia foi convidada para participar da mostra “O Melhor do Circo Paulista”, no Festival de Teatro de Curitiba 2010, com o espetáculo “Despautérios.”, contemplado pelo prêmio Proac 06 – 2008, com direção de Domingos Montagner (La Mínima e Circo Zanni).

Esteve em Portugal, Espanha e Argentina a convite da EMBRATUR, para representar a arte brasileira em eventos mundiais. Esteve também no cabaré de abertura na12ª Convencion Argentina de Malabares, Circo y Espectaculos Callejeros, com “A Bailarina e o Palhaço”, em 2009.

A Cia. SUNO assinou a coreografia da comissão de frente da escola de samba Gaviões da Fiel, no carnaval de São Paulo nos anos de 2009, 2010, 2011, 2012, 2013 e 2014.