PROCESSO SELETIVO 2024 Fechar
Crédito: Ingrid Matuoka

Crédito: Ingrid Matuoka

A multinacional petroquímica Braskem faz parte do grupo Odebrecht e atua em parceria com clientes em mais de 70 países. Em agosto de 2013, a empresa abriu um processo seletivo para estágio em diversas áreas de atuação. Candidatos de todo Brasil passaram por cinco fases de testes e entrevistas. Entre os aprovados, está a casperiana Nathalia Orteiro, aluna do 4º ano de relações públicas.

Ela contou que o processo foi longo, durou quatro meses, e que a Braskem buscava nos candidatos muito mais do que conhecimento acadêmico ou prático. “Eles queriam saber se nós tínhamos alguma semelhança com a cultura da empresa, que é de valorização do ser humano e de sustentabilidade, de aprender por meio da prática e de delegação planejada: se seu líder te delega algo de forma planejada, significa que você tem autonomia e capacidade para concluir o projeto do melhor jeito possível. Tem muita confiança envolvida nisso tudo”.

Em janeiro, o estágio teve início. Além de atuar internamente em campanhas da Braskem, Nathalia também trabalha especificamente com comunicação interna, alimentando a intranet (site de relacionamento exclusivo com funcionários) e produzindo um boletim interno mensal. A casperiana contou que tenta, nesses canais de comunicação, mostrar para os integrantes da empresa o resultado de seus trabalhos no cotidiano. “Como a Braskem não vende diretamente para o consumidor final, é muito difícil dizer que se consome Braskem, mas tudo tem química e plástico e nós vendemos essas duas coisas. Falando de novos produtos e clientes. Contando sobre cases de sucesso, os integrantes conseguem ter uma ideia mais tangível sobre a empresa”.

Ao longo da faculdade, Nathalia procurou ter uma formação completa: trabalhou com eventos e relacionamento com patrocinadores, fez uma iniciação científica com assessoria de imprensa, estagiou em agência e em fundação e agora está em uma multinacional. Mas foi no terceiro ano do curso que surgiu o interesse em trabalhar com comunicação interna.

“Eu me identifiquei com a questão do ser humano e como se pode fazer com que o dia-a-dia das pessoas seja melhor. Comunicação interna é relacionamento com funcionários e procura mudar ou explorar o ambiente de trabalho. Criar estratégias para ajudar as pessoas a se desenvolverem em suas respectivas carreiras foi o que mais me chamou a atenção. Então, entrar na Braskem não foi uma grande conquista só pelo tamanho da empresa, mas também pela área de atuação”, contou Nathalia.

Ela também ressaltou ter percebido que, para o mercado de trabalho, cursar a Cásper é algo forte. Na equipe em que trabalha, quatro são casperianos formados e disse que por todos os lugares que passou, encontrou casperianos bem sucedidos. “Ver profissionais de destaque que tiveram a mesma formação que você é tranquilizador, vejo que eu também posso ser assim: eu, quem está aqui [na Cásper] e quem ainda vai vir”. E completou dizendo notar que o discurso da faculdade, de conciliação entre academia e mercado, se concretiza. “Tenho orgulho de fazer Cásper”, afirmou.