Pesquisadores da Cásper contam como foi o Intercom

Por: Julya Vendite e Viviane Alvarez, do Núcleo de Mídias Digitais

Saiba como foi participar da 40ª edição do congresso

Casperianas Larissa Rosa, Beatriz fontes, Érica Azzellini, Giulia Garcia, Bruna Fadel, Alana Claro e Larissa Moreira no Intercom

O Congresso Nacional Intercom é um evento anual que reúne pesquisadores discentes e docentes do Brasil para apresentar análises e reflexões sobre a comunicação, seus elementos, ferramentas e impactos na sociedade.

A edição desse ano aconteceu na cidade de Curitiba, na Universidade Positivo, dos dias 4 a 9 do mês de setembro. Foram apresentados 29 trabalhos de casperianos e casperianas ao longo da semana passada, todos eles transitando entre os temas da cultura, política, arte, literatura, tecnologia, esporte e história, sempre fazendo um elo com a área da Comunicação.

O evento representa uma enorme experiência para a vida e carreira de profissionais e formandos da área de Comunicação, uma vez que abre portas para interpretações diferentes de diversos temas, possibilita interações e trocas valiosas de ideologias, pensamentos e culturas e permite reflexões aprofundadas sobre temas pertinentes e recorrentes na sociedade e na mídia. O coordenador do Centro Interdisciplinar de Pesquisa (CIP) da Faculdade Cásper Líbero, Eric de Carvalho, fala sobre sua relação com o Intercom:

“Mais uma vez, professores e alunos participaram em peso do Intercom, apresentando seus trabalhos e enriquecendo os debates de seus grupos de pesquisa. Ano passado o evento aconteceu em São Paulo, na USP, e teve grande participação da comunidade casperiana. Neste ano, mesmo acontecendo em Curitiba, o congresso teve muitos representantes do CIP, das coordenadorias de cursos e mesmo de pesquisadoras que desenvolveram suas pesquisas no ano passado e voltaram para apresentar seus resultados. Somando professores e alunos, a Cásper é uma das instituições com mais representantes nesse congresso. Ano que vem faremos de tudo para termos uma grande participação no Intercom em Joinville!” – Eric de Carvalho, coordenador do CIP.

Para os casperianos e casperianas, a experiência torna-se ainda mais marcante, uma vez que se veem apresentando teses junto a professores e demais profissionais da área de Comunicação. A riqueza do conhecimento adquirido no Intercom é percebida através da diversidade de temas que permeiam a comunicação e como ela é desenvolvida em nossa sociedade. O evento é tido como imprescindível para comunicadores que queiram seguir a área acadêmica. Essa foi a terceira vez consecutiva que a casperiana Alana Claro, do 4º ano de Jornalismo, apresentou um trabalho no Intercom:

“Participar do Intercom é uma prazer e uma grande alegria. O congresso une diferentes faculdades e cursos de Comunicação, com pesquisas nos mais variados estágios e sobre temas muito ricos e interessantes. Poder apresentar um dos artigos que eu produzi durante a Iniciação Cientifica e assistir colegas casperianos apresentando suas pesquisas, seja na graduação ou no Mestrado, é muito gratificante e mostra o quanto a pesquisa não precisa ser uma atividade solitária”. – Alana Claro, 4ºJO.

A casperiana Érica Azzellini, do 4º ano de Jornalismo, que participou pela segunda vez do congresso, também ressaltou aspectos positivos da experiência:

“(…) é uma experiência muito rica, tanto para quem pretende seguir carreira acadêmica como eu ou para quem visa o mercado de trabalho, porque estimula o pensamento reflexivo sobre a Comunicação. É muito positivo entrar em contato com autores e trabalhos de todo o Brasil, o que torna o Intercom um grande espaço para debate e troca de conhecimentos e experiências.” – Érica Azzellini – 4ºJO.

A aluna Larissa Moreira, também do 4º ano de Jornalismo, pesquisou sobre a relação entre a rede social Tumblr e a glamourização de distúrbios alimentares. A aluna havia feito o texto quando estava no segundo ano, porém somente este ano o enviou para participar do congresso. O TCC de Larissa traz o mesmo tema que sua dissertação – ela diz que o assunto deve ser mais discutido porque sofre mais chance de ser romantizado do que outros distúrbios. Sobre sua apresentação, ela comenta:

“Eu gostei muito de participar, mas eu estava super nervosa! Eu tinha preparado slides e ensaiado em casa, mas sempre me dava branco. Mas, quando eu cheguei e comecei a ver as apresentações, me acalmei muito, Vi que não era nada de outro mundo, que as críticas existiam, mas eram construtivas e nada agressivas. Fiquei muito feliz de ter participado, mesmo.” – Larissa Moreira, 4ºJO.

Para a pesquisadora do CIP, Bruna Fadel, que está no 2º ano de Rádio, TV e Internet, o Intercom foi a primeira oportunidade de apresentar seu artigo de iniciação científica:

“Foi uma experiência ímpar fazer parte de um dos maiores congressos nacionais de Comunicação para, além de compartilhar o que venho pesquisando, conhecer a pesquisa de outras pessoas, aprender, debater e se inspirar. Foi um entusiasmo muito grande todo o processo: desde a submissão do trabalho, o receio de não ser aceito, até a viagem para Curitiba e a ansiedade de apresentar meu artigo”. – Bruna Fadel, 2ºRTVI.