A arte ganha novos contornos durante a pandemia

Por: Amanda Franco, da Revista Cásper

Confira a cobertura da Live do CIP com Cândida Almeida

Desde as pinturas rupestres, a arte faz parte das estruturas da comunicação humana. Não seria agora, em meio à pandemia do coronavírus, que seria diferente. Isoladas em suas casas, as pessoas têm produzido e consumido arte como forma de manter alguma forma de contato. E um exemplo disso são os grupos independentes, sobretudo os das cênicas, que têm explorado as lives para divulgar seus trabalhos nas redes sociais, mesmo com a acirrada concorrência dos grandes artistas.

A professora Cândida Almeida a convite de Michelle Prazeres, coordenadora do Centro Interdisciplinar de Pesquisas (CIP) da Faculdade Cásper Líbero, participou da live na qual discutiu fenômenos que ligam a comunicação como o universo da arte. Uma surpresa marcou o evento: o grupo das palhaças feministas do Circo di SóLadies realizou uma rápida intervenção  durante a conversa, rendendo muitas risadas e reflexões.

“Há movimentos independentes que ganham fôlego e começam a ter uma divisão mais democrática desses espaços. Porém, uma coisa é fundamental: se a arte não provocar, ela não aconteceu. Ela pode até se projetar como arte, mas não é”, explica Cândida. De acordo com ela, o sujeito precisa, para sua formação, de uma atitude questionadora, e infelizmente a mídia está povoada por expressões que só afirmam e exclamam ideologias.

Quando questionada sobre a dificuldade de se produzir arte sem o contato físico, Cândida aponta a impossibilidade das telas de substituírem essa mediação, mas por outro lado novas mídias vêm brotando a partir do digital. Um exemplo são as projeções feitas em edifícios em forma de mensagens ou artes estáticas e até mini-produções visuais. Para a professora, as novas e velhas formas de criar virão a coexistir em um mundo pós-pandemia.

Diante da impossibilidade de antever os novos processos que partirão das transformações sociais que enfrentamos atualmente, Cândida alerta que mirar o futuro não é prudente, já que o presente é pulsante e precisa ser pensado.

A próxima live será com o professor Jefferson Mariano, que falará sobre “A produção de informação e os impactos do coronavírus”. O encontro está marcado para terça-feira, 2 de junho, às 18 horas. A segunda rodada de conversas ao vivo sobre “O futuro da comunicação pós-pandemia” realizada pela Cásper Líbero acontecerá todas segundas e terças, no Instagram da Revista Esquinas com professores pesquisadores da Faculdade.