Ícone do título

Comissão de Autoavaliação

O PPGCOM da Cásper Líbero, como programa stricto sensu de uma Faculdade de Comunicação, tem buscado se aprimorar de acordo com as demandas internas e externas, tendo em vista o Plano de Desenvolvimento Institucional e o Plano Nacional de Pós-Graduação. Dessa forma, sua evolução está relacionada a diversas ações que foram se consolidando ao longo de 13 anos de atuação, a partir de autoavaliações  e avaliações externas, como as quadrienais da Capes.


Quanto às autoavaliações, as ações permanentes envolvem as pesquisas semestrais realizadas nas disciplinas, as quais avaliam conteúdos e dinâmicas pedagógicas, a autoavaliação realizada pela Comissão de Avaliação Institucional anualmente, com pesquisas qualitativas e quantitativas, além das reuniões de colegiado e com as representações discentes, que colaboram para o desenho de panorama que nos indica onde já avançamos e onde devemos melhorar. Em 2019 foi criada a Comissão de Autoavaliação do PPGCOM Cásper Líbero, conforme as orientações no Seminário de Meio Termo ocorrido no Ministério da Educação, em Brasília.


A Comissão de Autoavaliação do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Faculdade Cásper Líbero foi criada em novembro de 2019, conforme orientação da CAPES, após o Seminário de Meio Termo realizado em setembro do mesmo ano, em Brasília. Foi aprovada pelo Colegiado do Programa para o período de novembro de 2019 a novembro de 2021, sendo composta por quatro membros, a saber:



  • Michelle Prazeres (docente do Mestrado da Cásper Líbero)

  • Marli dos Santos (coordenadora da Comissão e docente do Mestrado da Cásper Líbero)

  • Ângela Cristina Salgueiro Marques (docente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG)

  • Representante discente

  • Sonia Castino (presidente da CPA da Faculdade Cásper Líbero, como convidada)


A Comissão é orientada pelo Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) e seus eixos norteadores, Plano Nacional da Pós-Graduação (PNPG), Documento da Área de Comunicação e Informação da CAPES, além de manter constante diálogo com a Comissão Própria de Avaliação (CPA) da Cásper Líbero. Tem como princípios:



  • Respeito à ética e à cidadania

  • Respeito à diversidade

  • Valorização da transparência

  • Formação qualificada de pesquisadores

  • Produção de conhecimento com impacto social, econômico e cultural

  • Articulação de redes internas e externas para produção e difusão do conhecimento em Comunicação

  • Estímulo à auto avaliação para aprimoramento das ações internas e externas do programa

  • Nucleação e acompanhamento de egressos

  • Promoção do diálogo com a sociedade, por meio da divulgação científica

  • Promoção da integração acadêmica, administrativa, financeira e institucional do PPGCOM em sintonia com as diversas instâncias da FCL.


Independentemente da criação da Comissão, as ações de avaliação têm ocorrido anualmente como resultado da Avaliação Institucional da Faculdade, liderada pela CPA, atuante desde 2005, cujos resultados também orientam o planejamento anual da Pós-graduação. Outros esforços balizam as ações do Programa, como as avaliações semestrais dos alunos em relação às disciplinas oferecidas e as reuniões quinzenais do Colegiado, em que participam todos os docentes e a/o representante discente, para elaboração de planejamento e discussão de resultados.


Para cumprir os princípios da Comissão, em 2019 foram realizadas  reuniões regulares, para definição das metodologias de autoavaliação,  tendo como referência  a ficha de Avaliação Quadrienal, aprovada no último Seminário de Meio Termo, a partir de 3 tópicos: Programa, Formação e Impactos na Sociedade. A comissão começou a atuar em novembro de 2019, sendo que algumas propostas de autoavaliação ainda serão implementadas.


TÓPICOS DE AVALIAÇÃO 



1) QUANTO AO  PROGRAMA


1) Articulação entre área de concentração, linhas de pesquisa, disciplinas, grupos de pesquisa e projetos de pesquisa dos docentes – Avaliação anual por  Comissão nomeada pelo colegiado, composta por 3 docentes: profa. Ana Luiza Coiro de Moraes, prof. José Eugenio de Oliveira Menezes e profa. Marli dos Santos. A metodologia utilizada é a qualitativa, por meio de análise de conteúdo das ementas e objetivos das linhas de pesquisa, disciplinas, grupos e projetos de pesquisa. Busca identificar a articulação vertical e horizontal entre linhas de pesquisa e disciplinas, grupos de pesquisa e projetos individuais, na perspectiva da área de concentração, que é Comunicação na contemporaneidade.


2) Infraestrutura disponível – a avaliação da infraestrutura disponível ocorre por meio da avaliação institucional, cujos dados são analisados pela coordenação do Programa em parceria com a presidente da Comissão Própria de Avaliação  (CPA) da Faculdade Casper Líbero. Em complemento, são realizadas reuniões com a representação discente e coleta de informações com a Secretaria acadêmica, departamento que também está orientado a coletar as demandas dos discentes.


3) Perfil do corpo docente e sua compatibilidade e adequação à Proposta doPrograma – a avaliação é realizada por meio da produção anual coletada na Plataforma Sucupira. Os relatórios obtidos na coleta anual são analisados e discutidos pela Comissão de Autoavaliação do PPGCOM, e posteriormente encaminhados aos docentes. São consideradas suas atividades em Grupos de pesquisa, como realização de eventos e publicações, além dos projetos de pesquisa individuais e seus resultados.


4) Planejamento estratégico do Programa – Elaboração e revisão anual do planejamento estratégico do Programa pelo colegiado. São estabelecidas prioridades, objetivos e metas de acordo com o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), o relatório anual do Programa na plataforma Sucupira – com ênfase à produção docente e discente, e os relatórios quadrienais.


1.4. Processos, procedimentos e resultados da autoavaliação do Programa, com foco na formação discente e produção intelectual –  divulgação sistemática de eventos da área para apresentação de trabalhos de pesquisa, por meio de redes sociais e e-mails direcionados aos alunos;  estímulo à produção por meio de coautorias com orientadores; realização de Oficinas de Currículo Lattes e Oficinas de Produção de Artigo científico; obrigatoriedade de atualização dos currículos lattes para rematrícula semestral. Para avaliação dos resultados, são utilizados os relatórios anuais da Capes e a Pesquisa de egressos, realizada anualmente para acompanhamento das atividades dos titulados. Nessa pesquisa, são utilizadas como fontes de pesquisa: currículo lattes, redes sociais digitais, e-mails, contatos telefônicos.



2) QUANTO À FORMAÇÃO:


2.1. Qualidade e adequação das teses, dissertações ou equivalente em relação às áreas de concentração e linhas de pesquisa do Programa – serão considerados o recebimento de distinções pela banca, a indicação e recebimento de Prêmios, as publicações de artigos científicos relacionados ao tema das dissertações.


2.2. Qualidade da produção intelectual de discentes e egressos – avaliação dos resultados dos relatórios anuais da Capes, tendo como foco as publicações e produções técnicas realizadas pelos discentes e egressos.


2.3. Destino, atuação e avaliação dos egressos – Realização de mapeamento dos egressos anualmente, por meio de metodologia quantitativa, com aplicação de formulários com tópicos que abrangem desde o título do trabalho, a linha de pesquisa, bem como a produção intelectual, áreas de atuação, cargos ocupados. A coleta de informações é realizada por meio de currículo lattes atualizado, redes sociais digitais, e-mails, contatos telefônicos. Planeja-se em 2020 realizar pesquisa qualitativa, com pergunta sobre o papel do Programa na formação de cada mestre e seu impacto na atuação profissional.


2.4. Qualidade das atividades de pesquisa e da produção intelectual dos docentes – os indicadores utilizados para avaliação são o relatório anual da Capes, as atividades dos grupos de pesquisa, por meio do relatório anual de atividades do Programa elaborado pela Coordenação do PPGCOM, o relacionamento com pesquisadores de outras instituições nacionais e internacionais.


2.5. Qualidade e envolvimento do corpo docente em relação às atividades de formação dos discentes – Pesquisa semestral de avaliação dos docentes nas disciplinas, com aplicação de questionário com perguntas quantitativas e qualitativas, que aborda a atuação dos docentes nas disciplinas. Nos casos de orientação, serão realizados dois grupos focais com os discentes com o objetivo de avaliar e planejar ações sobre as atividades de formação no programa.



3) QUANTO AO IMPACTO SOCIAL


3 – Impacto na Sociedade


3.1. Impacto e caráter inovador da produção: pesquisa quantitativa por meio de questionários com questões fechadas e abertas, aplicados aos discentes matriculados e egressos. Acompanhamento das atividades de egressos. Análise de relatórios de pesquisa. Análise de relatórios de pós-doutorandos  e suas produções.


3.2. Impacto econômico, social e cultural do Programa: pesquisa quantitativa por meio de questionários com questões fechadas e abertas, aplicados aos discentes matriculados, com o objetivo de conhecer as suas atividades, área de atuação e cargos ocupados. Mapeamento das atividades de egressos. Produções decorrentes dos projetos de pesquisa individuais dos docentes. Atividades de extensão realizadas pelo Programa.  Relatórios de pós-doutorandos  e suas produções. Atividades dos grupos de pesquisa. Relatórios Anuais de Atividades do Programa. Relatório de impacto da divulgação científica do Programa, por meio das redes sociais e da página do Programa. As métricas da revista Líbero, produzida pelo Programa, bem como a participação de pesquisadores de outras instituições com a publicação de artigos.


3.3. Internacionalização, inserção (local, regional, nacional) e visibilidade do programa – Quanto à internacionalização, analisar indicadores de publicações conjuntas com pesquisadores estrangeiros em revistas científicas qualificadas,  de publicações de artigos  de docentes do Programa em revistas científicas qualificadas; de parcerias em grupos de pesquisa; de participação em redes de pesquisa, de ocupação de cargos/atividades em entidades internacionais, de participação em eventos internacionais. As fontes de informação são os relatórios anuais de atividade do Programa e relatórios anuais da Capes. Sobre inserção local, regional e nacional, são consideradas parcerias com outras instituições, publicações em coautoria, realização de eventos conjuntos, parcerias com associações científicas, projetos de pesquisa e extensão de docentes e discentes. As fontes de informação são os relatórios anuais de atividades do Programa e os relatórios anuais da Capes.  Sobre visibilidade do Programa, a mensuração das atividades de divulgação científica nas redes sociais e na página do Portal da Cásper Líbero, tendo como fonte o relatório semestral produzido pela equipe de Mídias Digitais da Faculdade Cásper Líbero. Além disso, os indicadores de impacto da revista Cásper Líbero também mostram a visibilidade do programa. Os relatórios anuais do Centro de Eventos da Faculdade também nos posicionam sobre perfis e quantidade de participantes nos eventos realizados pelo Programa. As participações de docentes em bancas, em eventos nacionais e internacionais, em cursos e palestras são considerados indicadores de visibilidade, os quais são avaliados  por meio dos relatórios anuais da Capes e pelo relatório anual de atividades do Programa



Downloads




– Avaliação de Atuação dos Docentes na Formação de Discentes

– Pesquisa Egressos – 15 anos