Além do póstumo

Por: Wellington Keidi

Em Varda por Agnès, a diretora belga radicada na França expõe seu processo de trabalho não somente como cineasta, mas também como artista visual. Pontuado pelo som de violinos, trombones e tímpanos, o documentário traz um olhar ácido, e humano, que torna belo o imprevisível. Na cena final da obra, uma frase simboliza o que sempre norteou o ímpeto da artista, conhecida por sua postura combativa, tão bem encarnada em suas posições feministas: “Pessoas reais são o coração do meu trabalho”.